Em Caná da Galileia…

Santos Pastorinhos

Hoje é um grande dia de festa: hoje é o dia de Santa Jacinta e S. Francisco Marto! Duas crianças santas! As Famílias de Caná vivem da convicção profunda de que as nossas crianças são chamadas à santidade, da mesma maneira que nós o somos. Na leitura do Levítico que ontem escutámos, Deus dizia-nos: Sede santos porque Eu, o Senhor, sou santo. (Lv 19, 2) E no Evangelho, Jesus revela um carinho muito especial pelos mais pequeninos: Deixai vir a Mim as criancinhas, não as impeçais, porque dos que são como elas é o Reino de Deus. (Lc 18, 16)(…)

Ler mais

Brincar em modo de retiro

Os encontros Famílias de Caná são sempre, como bem diz o nome, em família. Alguns ensinamentos reúnem a família toda, outros são feitos separadamente para pequenos e para grandes. E há sempre crianças a passar! Mas um retiro não é só feito de palavras, não! Também é feito de brincadeira, porque a brincar também louvamos o Senhor, e de que maneira! Brincar com os filhos é talvez o dever mais divertido dos pais. Dever? Sim, dever. Todos os pais têm a obrigação de brincar com os filhos de vez em quando! Um dever que rapidamente se transforma em prazer… Assim,(…)

Ler mais

Domingo I da Quaresma, ano B

FOMOS SALVOS PELAS ÁGUAS! A imundície desta Terra não se lava com uma simples passagem de um pano húmido; precisa de um autêntico dilúvio! Quem assistiu, pela televisão, aos dois terríveis tsunamis que marcaram o início deste milénio, não duvida do poder que as torrentes de água viva têm para derrubar mesmo os mais altos arranha-céus construídos pelos homens. À passagem das águas, tudo tomba como um baralho de cartas. Se não víssemos as imagens e os vídeos amadores partilhados na altura, não acreditaríamos. Deus serve-se destas imagens poderosas para nos comunicar o poder infinitamente superior da sua graça. Já(…)

Ler mais

A neve de Nossa Senhora

Santa Teresinha, minha amiga desde a infância, conta na sua autobiografia um episódio que sempre me tocou: Não sei se já vos falei do meu amor pela neve. De muito pequena, a sua brancura encantava-me. Um dos meus maiores prazeres era passear sob os flocos de neve. (…) Enfim, sempre desejara que no dia da minha Tomada de Hábito a natureza estivesse como eu, vestida de branco. Na véspera desse belo dia, olhava tristemente para o céu cinzento, de onde se escapava, de tempos a tempos, uma chuva fina; a temperatura era tão amena, que não esperava neve. (…) Mas(…)

Ler mais

Acolher e ser acolhido

Na Suíça, fomos acolhidos em duas casas. Uma, o apartamento do senhor padre Walfrido, um simpático missionário brasileiro responsável pela missão portuguesa em Zurique. A outra, o apartamento do Liberto e da Beta, pais da Fátima, do João e do Francisco (que irá nascer em maio) e que, conhecendo-nos através de uma entrevista na Angelus TV, de imediato nos desafiaram a ir ter com eles à Suíça. Mas se em tamanho estas casas eram pequenas, em acolhimento eram bem espaçosas! Durante três dias, não faltou comida abundante sobre a mesa, quais Bodas de Caná, chocolates suíços à discrição, passeios à(…)

Ler mais