Em Caná da Galileia…


Pastores ou anjos? Irmãos!

O menino nasceu, e logo logo, o pai foi buscar os irmãos para o virem conhecer. Entraram de rompante na maternidade e aguardaram em alegre expetativa que eu saísse do recobro e passasse da sala de partos para o quartinho na obstetrícia. Finalmente, a hora chegou! Deitada na cama, passei por junto dos meus seis filhos reunidos, e a rir e a chorar ao mesmo tempo, abracei-os um a um. Que grande festa! Felizes, todos espreitaram o Daniel, escondido no calor dos meus braços, e assim entrámos no quarto onde ficaríamos durante os próximos três dias. Três dias em que(…)

Ler mais

Domingo III do Advento, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga   “Clama jubilosamente; solta brados de alegria, Israel. Exulta, rejubila de todo o coração.” Assim fala Sofonias este domingo. E aos Filipenses, S. Paulo ordena: “Alegrai-vos sempre no Senhor. Novamente vos digo: alegrai-vos.” Que Palavra exigente! No meio da agitação diária, dos nossos problemas familiares, escolares, de trabalho, de relações sociais; no turbilhão das más notícias que nos chegam de todas as partes do mundo, com que direito vamos nós alegrarmo-nos? E não só alegrarmo-nos, mas clamar jubilosamente, soltar brados de alegria,(…)

Ler mais

Duas amigas e um presépio

“Mãe, a minha amiga da escola nunca fez um presépio na vida, acreditas? Nunca! Eu contei-lhe como está o nosso presépio e ela ficou tão triste por não ter nenhum…” “Pois é, Lúcia, não basta estar num colégio católico para se ser católico, não é verdade? Talvez a maioria dos teus colegas não festeje o Natal como católicos, mas à maneira do mundo, apenas pensando nos presentes e na mesa posta.” “Sabes o que eu estive a pensar? Tu importavas-te se eu lhe oferecesse o meu Menino Jesus? E o anjinho que está na minha prateleira? Assim, ela podia fazer(…)

Ler mais

Domingo II do Advento, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga DEIXA A TUA VESTE DE LUTO E AFLIÇÃO As leituras deste domingo de Advento falam-nos de um amor divino capaz de transformar as lágrimas em risos, as sementes em espigas, os desertos em torrentes. Deixemo-nos conduzir pelos caminhos que este amor vai aplanando, à sombra das suas “árvores aromáticas” e “à luz da sua glória”! “Jerusalém, deixa a tua veste de luto e aflição”, diz o Senhor em Baruc. “Cobre-te com o manto da justiça que vem de Deus e coloca sobre(…)

Ler mais