Em Caná da Galileia...


A Igreja está a arder!

Notre Dame está a arder! A notícia chega pelo telefone e pelo feed do telemóvel. Notre Dame está a arder!

Íamos começar a nossa oração familiar, mas Notre Dame está a arder, e há que ligar o televisor para acompanhar o que se passa. Diante das impressionantes imagens, o jornalista pergunta aos transeuntes o que significa, para eles, o fogo na catedral.

É Paris a arder, dizem uns.

É a nossa cultura inteira a arder, dizem outros.

É um bocadinho de nós a arder, dizem ainda outros.

Não tenho palavras, Paris sem Notre Dame não é Paris…

Passo aqui todos os dias, tomo a catedral por garantida, nem me questiono sobre a possibilidade de, um dia, ela não estar cá…

É o coração da Europa, Notre Dame é o coração da Europa…

Fechamos o televisor, e oferecemos hoje o nosso terço pela intenção que mais nos tem movido nesta quaresma: a Igreja Católica, Esposa de Cristo Crucificado.

A arder.

Ela que é o coração da Europa,

Ela que é a pedra angular da nossa cultura, dos nossos valores, das nossas histórias,

Ela que tomávamos como garantida,

está a arder.

Ainda não tínhamos dado conta? Às vezes, arde por culpa dos de fora, outras vezes, e são a maioria, arde por mera negligência dos de dentro. Um pequeno descuido na moral aqui, um desleixo na administração dos sacramentos ali, e é fogo.

Alegremo-nos, que a Pedra é forte, antiga, testada. Só arderá a madeira velha e carunchosa… Podemos destruir a Notre Dame, mas nunca destruiremos a Igreja de Cristo. Foi sua a promessa:

Tu és Pedro, e sobre esta Pedra construirei a minha Igreja, e as forças do inferno não prevalecerão contra ela. (Mt 16, 18)

Que podemos nós fazer? Nestes dias, tenho gravadas na memória as palavras do querido Papa Emérito Bento XVI, no seu mais recente artigo, A Igreja e o Escândalo do Abuso Sexual:

Há valores que jamais devem ser abandonados por um valor mais alto e até mesmo superar a preservação da vida física. Há martírio. Deus é mais. Ele vale mais que a própria sobrevivência física. Uma vida comprada pela negação de Deus, uma vida baseada em uma mentira, ao final, não é vida.
O martírio é a categoria básica da existência cristã. O fato de que o mesmo já não seja moralmente necessário, como afirma a teoria defendida por Böckle e muitos outros, demonstra que a própria essência do cristianismo está em jogo aqui.

Há muitos séculos, o jovem Francisco foi chamado a reconstruir a Igreja de Cristo, começando pelas pedras da pequenina Porciúncula (Pequena Porção); há poucos anos, um outro Francisco foi chamado a reconstruir esta mesma Igreja de Cristo, a partir das pedras do Vaticano.

Hoje, as Famílias de Caná também estão entre os convocados. É preciso reconstruir a Igreja, Notre Dame está a arder! Tudo o que dávamos por garantido está a arder! Se não sabemos por onde começar, imitemos o pobre de Assis e comecemos pelas “pequenas porções”, as Porciúnculas das nossas casas… Vamos! A Páscoa da nossa libertação está aí!

Um Santo Tríduo para todos!

One Comment

  1. Bom dia… logo no primeiro dia após Domingo de Ramos… nem se esperou por Sexta-feira para destruir e demolir…
    Para mim é por demais simbólico que, no coração da Europa, que não quis inscrever em si mesma a sua matriz cristã, uma Igreja arda, aquela Igreja…
    Esperemos que as consciências acordem e que este seja apenas um joeirar que separe o essencial do efémero .
    Que saibamos viver estes dias de profunda reflexão. Que Deus Nos guie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *