Em Caná da Galileia...


Criando irmãos

Ter filhos é bom. Mas vê-los crescer irmãos é ainda melhor. E não, não é a mesma coisa! Nos dias de hoje, com os ritmos de vida que todos conhecemos, acontece em muitas famílias os filhos crescerem quase sem que as suas vidas se cruzem com as dos irmãos: frequentam escolas diferentes, atividades extra-curriculares diferentes, grupos da Igreja diferentes. Alguns têm quartos separados, computadores e televisores pessoais. Às vezes, nem às refeições se encontram…

Por isso, o Tempo de Família que o nosso Movimento acarinha é fundamental. Mas também é preciso oferecer aos nossos filhos oportunidades de se tornarem próximos dos irmãos, no sentido evangélico que Jesus dá à palavra.

Que tal fazerem os trabalhos de casa juntos? Agora que já cheira a primavera, é tão agradável sentarmo-nos lá fora, no jardim! O António pode ler os enunciados das fichas da Sara, que ainda não o consegue fazer sozinha. E a Lúcia pode tirar algumas dúvidas ao António…

O primeiro período não correu muito bem para o David. As notas baixaram e foi preciso uma reunião familiar: como vamos todos nós ajudar o David a melhorar os seus resultados? O Francisco ofereceu-se para acompanhar o David na Matemática, a Clarinha para o acompanhar em Ciências e Físico-Química. Na sexta-feira, o David chegou a casa com as informações intercalares e um sorriso de orelha a orelha: “Vê estes resultados! Vê como já consegui boas notas!”

“António, vou ensinar-te a fazer uma pistola de eletroíman. Vem cá.” O Francisco sabe que o António partilha a sua paixão por Física e Mecânica, e por isso, de vez em quando, convida-o para juntos construírem algo de novo. O eletroíman foi um sucesso!

O António levou o seu novo brinquedo para a escola e, claro, fez furor junto dos amigos e da professora. “António”, pediu a professora, “dizes ao teu mano para vir cá à sala ensinar-nos a todos como funciona um eletroíman?”

E foi assim que o Francisco foi à escola do António para, durante hora e meia, falar aos meninos de magnetismo, eletricidade, e uma série de outros conceitos de Física que entusiasmaram pequenos e grandes. O António quase rebentava de orgulho do seu irmão mais velho…

Quarta-feira cheia de sol. A Clarinha, o David e a Lúcia vêm almoçar a casa. A Clarinha chega primeiro. “Mãe, vou preparar a mesa lá fora e fazer um almoço especial para os manos. Quando eles chegarem de bicicleta, vão ficar super felizes!”

Sim, ficaram. E à noite, na oração familiar, agradeceram o almoço solarengo e a ideia da irmã mais velha…

“Vem cá, Lúcia, vou ensinar-te a costurar”, diz a Clarinha num sábado à tarde. Sentam-se as duas à secretária da Clarinha, e logo se lhes junta grande companhia.

Ficou ou não bonito?

Não, não é sempre assim. Muitas e muitas vezes, tudo o que eu ouço por aqui são gritos, discussões e portas a bater, ou como diria Jesus, “choro e ranger de dentes”. Cabe-nos a nós, pais, insistir e tornar a insistir, oferecendo e voltando a oferecer ocasiões serenas e alegres para que eles cresçam irmãos, diferentes daquelas ocasiões em que os mais velhos precisam obrigatoriamente de cuidar dos mais novos, e que nem sempre são ocasiões agradáveis para ambos os lados.

E quanto ao Daniel? O Daniel é disputado por todos. Todos lhe querem pegar ao colo, todos querem empurrar o carrinho, todos querem ajudar ao banho ou dar o biberão. Com ele, ninguém se zanga – por enquanto 🙂

Estamos quase na quaresma, e a caixa das novidades, aqui no site, vai transbordar de sugestões. Eu já espreitei algumas e são giríssimas! Aproveitemo-las bem, para fazer dos nossos filhos, cada vez mais, verdadeiros irmãos!

Ler também...

2 Comments

  1. Esta descrição de irmãos lembrou-me “As Mulherzinhas” 🙂
    ps – até a água tem rodela de limão, upa upa!

  2. Catarina Ramos Tomás

    Cá por casa, já se retiram espinhos da Coroa de Espinhos da Quaresma. Um deles, por um dos manos ter prescindido da sua brincadeira preferida e ter escolhido brincar ao que o mano pequenino queria. “Conta mãe?” Foi um pequeno sacrifício…
    Educar filhos é simples. Educar irmãos é para mim o mais difícil!
    Obrigada pela vossa partilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Mais recentes...