Em Caná da Galileia...


E eis que é Natal

Share on Facebook37Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

Na noite do dia 24, quando, depois do jantar com a família alargada e da imensa brincadeira com os primos, ficámos de novo sozinhos os nove, chegou a hora da nossa oração familiar. Seria, claro, uma oração especial, ou não fosse esta a grande noite do nascimento de Jesus.

Assim, ao som de hinos natalícios, a imagem de Nossa Senhora do Ó foi retirada do Presépio e substituída pela imagem de Maria em adoração. No ninho vazio a seu lado – um ninho que encontrámos caído há uns anos – a Sara colocou, com muito jeitinho, o Menino Jesus. Viva! Nasceu!

Depois, li em voz alta a última história da Árvore de Jessé. Mesmo com o nascimento do Daniel, a minha estadia na maternidade e toda a agitação que comporta a chegada de um bebé, conseguimos ler todas as histórias do livro e colocar todos os símbolos na Árvore de Natal. Não é assim tão difícil, nem leva mais que dois minutos diários.

Os mais velhos foram fazendo turnos a ler as histórias, os mais novos foram fazendo turnos a procurar os símbolos e a colocá-los na Árvore. Ao António, coube pendurar o último símbolo, a manjedoura, no cimo da Árvore de Natal, enquanto todos aplaudíamos. A nossa Árvore tornou-se verdadeiramente numa Bíblia ilustrada!

Ontem, sexto dia de Natal, os nossos seis filhos – o Daniel não quis participar – ensaiaram e encenaram um Auto de Natal, para iniciar o nosso serão, mantendo assim a tradição familiar de contar a história do Natal em teatro e canto. O Niall e eu consolámo-nos a observá-los.

Numa destas tardes em que a chuva caiu com força, decidimos, também em família, ver novamente o filme Estrela de Natal, presente familiar. Que bem que soube, os nove sentados nos sofás com pratos de pipocas à frente e um ótimo DVD para nos fazer sonhar, meditar e, até, rezar!

E ao longo destes dias, multiplicam-se as brincadeiras com os primos e com os amigos aqui da rua, bem como as visitas ao menino, quais cortejos de pastores, umas aqui de perto, outras vindas de longe, dos mais variados lugares onde habitam Famílias de Caná.

É o Natal que chega, e chega para ficar, este ano por vinte dias. O Tempo de Natal começa na noite de 24 e continua até à festa do Batismo do Senhor, no domingo a seguir à Epifania, portanto, no dia 13 de janeiro. Já viram quantos dias de Natal temos ainda pela frente?

Claro que por esta altura, o mundo já está cansado do Natal. Na verdade, o mundo celebra o Natal ao contrário dos cristãos: nós preparamo-nos para o Natal durante quatro semanas de Advento, rezando, renunciando, vigiando. Quando, por fim, o Natal chega, a festa acontece e é uma alegria, que se prolonga por muitos dias. Mas o mundo celebra o Natal durante todo o Advento e até algumas semanas antes, por vezes quase logo depois do Halloween, com festas, compras, decorações, música e guloseimas. Assim, não admira que dia 26 já ninguém sinta vontade de sobremesas, encontros de família, cantos natalícios e festas de Natal.

Quem, como eu, passou o Advento à espera da chegada de um menino, com uma barriga enorme, um cansaço ainda maior e uma impaciência crescente, a tocar as franjas da saturação e da angústia, sabe bem que não há como festejar um nascimento antecipadamente. Mas quando o menino nasce, que grande festa! A angústia evapora-se, o cansaço desaparece, e tudo sabe a novidade e a dom. Assim com o Natal cristão. Vivamos o Advento como advento, em jubilosa esperança, e o Tempo de Natal como Tempo de Natal, em jubilosa festa, e tudo fará sentido.

Para que não faltem atividades em família para estes dias de festa, a Marisa Milhano e a Olívia Batista não têm parado de publicar sugestões em Manualidades, Jogos e Atividades de Evangelização. Espreitem os Recursos, agora destacados no site como Novidades de Natal, e ousem pôr em prática algumas ideias em vossas casas! Para facilitar a divulgação destas atividades, a Marisa criou uma conta no Pinterest para as Famílias de Caná. Assim, têm uma nova porta de acesso virtual ao site e às nossas propostas.

Sabemos que há muitas Famílias de Caná que também têm prolongado o seu Tempo de Natal, com atividades familiares. Recebemos este postal lindíssimo da Família Almeida, também ela perita em Autos de Natal:

E por uma mensagem de Whatsapp, ficámos a saber que a Família Santos, os nossos queridos compadres, decidiram manter a tradição do Retiro de Natal – que não fizemos, por “culpa” do Daniel – e ir a Fátima rezar a Via Stellae no Caminho dos Pastorinhos. Que belíssimo sol e que belíssima meditação, escreveram eles.

E aí nas vossas casas? As publicações do site em Recursos e o Ensinamento Mensal têm ajudado na vivência do Natal? Leram e trabalharam com os meus dois livros natalícios? Têm fotos dos vossos Autos de Natal ou da vossa Árvore de Jessé, para partilhar connosco?

Porque não imitar a Marisa, a Olívia, a Isabel Marantes e a Sónia Santos e aceitar o desafio que vos lancei antes do nascimento do Daniel, de também vós, leitores e especialmente Famílias de Caná comprometidas, tomarem um papel mais ativo no site e participar com testemunhos regulares sobre o que vão aprendendo da vivência de Caná, bem como propostas de atividades? Vamos a isso?

Afinal, o Natal ainda agora chegou…

 

 

3 Comments

  1. Teresa Martinho

    Parabéns mais uma vez pelo testemunho e obrigada a todos os que na nossa caminhada de cristãos sabem ser companheiros criativos, atentos, sendo Luz e ajudando a Ser Luz! Que a Paz e Alegria do Menino Jesus nos acompanhe ao longo deste Ano de 2019!

  2. Desde o dia 26 que oiço pessoas perguntarem “Como foi o teu/seu Natal?” Quando a pergunta me é dirigida, costumo responder que ESTÁ a ser bom, mas, sinceramente,sinto-me quase uma ET quando o faço… Tens toda a razão, o mundo vive o Natal durante o Advento e depois já está farto… é mesmo isso!
    Quanto à partilha de atividades, não tenho nenhuma nossa para contar, mas a minha irmã fez uma Árvore de Jessé portátil (do tamanho de uma folha A4, aproximadamente) e, como ela não tem paciência para escrever a contar, eu tirei fotografias e fiquei incumbida de o fazer.

  3. Lá estás tu mais uma vez a por em palavras aquilo que eu penso e sinto…
    É mesmo isso! Aqui na Alemanha começas a ver doces típicos do Advento/Natal (bolos, biscoitos, chocolates etc) nos supermercados em SETEMBRO!!! Eu que gosto imenso de alguns destes doces, recuso-me obstinadamente a comprá-los antes do dia 1 de Dezembro (Advento) ou do dia 24 (Natal).
    E por aí adiante: as pessoas começam a por as decorações de Natal no princípio de Novembro, e no dia 27 de Dezembro já se vêem as primeiras árvores de Natal despejadas na rua…. Em minha casa só se começa no primeiro domingo do Advento…
    Os mercados de Natal, muito populares na Alemanha, abrem ainda antes do Advento!
    Mas, o mais triste para mim, é que o Pai Natal, bochechudo, bonacheirão, com as barbas brancas e a roupa vermelha, é tão espampanante que ninguém se interessa pelo menino Jesus. O Marketing de um bébé nascido em Belém é difícil…. Festejamos a sua chegada, o seu aniversário, mas as pessoas vão à festa e esquecem-se do aniversariante.
    Aqui também toda a gente pergunta como FOI o Natal…
    Ou fica a olhar para mim como se eu fosse um bocadinho ignorante quando eu desejo Feliz Natal depois do dia 26 de Dezembro…
    Eu ainda não estou cansada do Natal. A minha filhota vai participar pela primeira vez nos cantores das estrelas (Sternsinger, não sei se isto existe em Portugal?), que no dia de Reis, vestidos de Reis Magos, vão bater às portas das casas, cantar e escrever C*M*B*2019 nas umbreiras das portas (é uma benção em latim).
    Que Cristo abençoe as vossas casas em 2019!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *