Em Caná da Galileia...


E temos mais um cristão em dia de Natal!

Este Natal foi, sem dúvida, o Natal mais especial da nossa vida familiar. Com quinze dias, o nosso Daniel Patrick foi batizado! O seu nascimento está, finalmente, completo, nascimento para o tempo e para a eternidade, para a vida e para a graça, para o mundo e para Deus.

A manhã começou muito cedo, com os meninos a saltar da cama cheios de pressa para abrir os presentes de Natal, enquanto no Presépio iluminado, Maria adorava Jesus recém-nascido.

Depois de um pequeno-almoço festivo, foi hora de vestir e preparar para a grande missa de Natal. Chegámos ao santuário ao toque das dez horas, e esperámos, à porta, que o senhor padre nos viesse receber, em nome de toda a comunidade crente.

Com o senhor padre, vinham também os nossos dois acólitos, muito orgulhosos de acolitarem a missa do batismo do seu novo irmãozinho.

“Que nome dais ao vosso filho?” “Daniel Patrick.”

“Que pedis à Igreja para o vosso filho?” “O batismo.”

Que emoção tão grande, fazer estas duas curtas mas poderosas afirmações à entrada da Igreja! Que honra, o Daniel ser admitido na Igreja do Senhor! E como nos faz crescer em humildade, este pedido de admissão!

Ali mesmo, ainda à porta, foi hora de traçar sobre a fronte do nosso menino o sinal dos cristãos, a Cruz. Primeiro, o senhor padre, depois cada um de nós, pais e padrinhos. Que o Daniel nunca tenha medo da Cruz e seja capaz de seguir sempre nas pegadas de Jesus Crucificado!

E a missa começou, com cânticos natalícios, muita alegria e um menino recém-nascido a passar de colo em colo…

Chegou, finalmente, a hora do batismo. Os dois manos acólitos trouxeram a mesinha onde já estava a bilha de barro e colocaram-na diante do altar.

E a Sara trouxe a concha que apanháramos na praia:

O senhor padre fez a unção pré-batismal no peito do Daniel, afastando dele qualquer sombra do Maligno.

Depois, abençoou a água morna, dentro da bilha de barro que durante todo o ano simboliza para nós as graças de Deus, no nosso canto de oração familiar:

Em seguida, proclamámos a nossa fé, a fé da Igreja, e por fim, pedimos de novo o batismo para o Daniel. Chegou a hora!

“Daniel Patrick, eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.”

Que felizes estávamos todos quando, de seguida, enxugámos a cabecinha húmida do nosso menino com as nossas mãos, tocando assim, também nós, na água viva que o salvou!

Enquanto o coro cantava e a assembleia aplaudia, eu não resisti e, incapaz de controlar tamanha felicidade, dancei com o meu menino, elevando-o no ar em gesto de gratidão…

Depois, o Daniel foi novamente ungido, desta vez com o óleo do crisma, a fim de se tornar, como Jesus, sacerdote, profeta e rei. Como não havemos de ter pressa em celebrar este sacramento, que eleva o nosso menino a tão alta estatura de graça?

“Daniel, agora és nova criatura e estás revestido de Cristo…” O momento tão aguardado pela Clarinha chegou. É preciso vestir-lhe a veste branca! Feliz, a madrinha avança… E o Daniel fica lindo!

O padrinho vai acender no círio pascal a vela que ele próprio escolheu (uma vela com arestas, para não rolar pelo banco abaixo quando o Daniel começar a ir às vigílias pascais – fala a experiência!). É a luz de Cristo, a luz do Natal, a luz que rompeu as trevas da morte e que queremos que brilhe no coração do Daniel por toda a eternidade. Todos a seguramos entre as mãos, pois a todos nós, família do Daniel, cabe o grave dever de manter a chama acesa.

E porque hoje é dia de Natal, e porque uma criança recém-batizada é um novo Cristo, está revestida de Cristo, está transbordante da luz e da graça de Cristo, o senhor padre anuncia: hoje não daremos a beijar um Menino Jesus de porcelana, mas antes um Menino Jesus de carne e osso: o Daniel. Poderão beijá-lo no pezinho, embora sobre as suas roupinhas, para que não lhe chegue nenhum vírus de inverno.

Que momento divino! Enquanto oferecia o meu filho a beijar a toda a assembleia, pensei em Maria, na sua oferta, na dádiva que nos fez do seu Filho Jesus desde as primeiras horas na gruta de Belém… E imaginei a sua surpresa e confusão perante o cortejo de pastores que logo ali adorou o seu Menino.

A missa chega ao fim. O Daniel recebe a sua cédula de vida cristã, os pais e os padrinhos assinam o documento que confirma o seu batismo. É oficial: o Daniel é cristão! A Igreja de Jesus ganhou um novo membro.

Celebrar o batismo em dia de Natal permitiu-me juntar, na celebração, as minhas duas irmãs e as suas famílias, para além da minha mãe que, naturalmente, tem estado presente em todos os batismos. A foto de família, aos pés da Senhora Auxiliadora, ficou bem preenchida! A minha mãe estava particularmente feliz, por conseguir reunir treze netos numa mesma cerimónia.

E, nós, Família Power, estamos agora mais numerosos. Já somos dez (com o Tomás no Céu)!

O dia estava cheio de sol, um sol quentinho de inverno num céu luminoso. Não havia como não visitar o Canto de Caná, para consagrar o Daniel à Mãe!

Um Menino nasceu para nós, um Filho nos foi dado. (Is 9, 5)

Menino Jesus e Daniel Patrick. Jesus, Filho de Deus, feito filho do homem, na mesma Eucaristia em que o Daniel, “filho do homem”, se torna filho de Deus. Deus ao nosso colo, e o Daniel ao colo de Deus… Que mistério tão grande e tão belo! O nosso coração transborda de gratidão, e por um dia, parece-nos viver no Céu…

Feliz Natal!

 

 

Ler também...

10 Comments

  1. Helena Atalaia

    Um Feliz Natal! 😘

  2. Parabéns e muitas felicidades para todos.

  3. Rogério Ribeiro

    O Daniel estava lindo… parabéns Clarinha pela veste branca!

  4. Catarina Silva

    Que Maravilha!
    Que Deus vos abençoe!

  5. Amén! Que felicidade!!!!! Beijinhos grandes

  6. antónio assunção

    Esperava este “relato” de uma profunda vivência de fé na celebração do Batismo do Daniel Vivi-o à distância!… Pois esperava que assim acontecesse neste dia de “duplo natal”… e porque há anos também presidi a Batismos em dia de natal e o mais pequeno dos bébés foi também ele “Menino jesus”
    Continuação de Santo Natal

  7. Destas fotos maravilhosas sobressaem os sorrisos abertos e a felicidade extrema nas caras de todos, mas o sorriso da Teresa é qualquer coisa de ternurento. E o orgulho visível da Clarinha e do Francisco a assinarem. Sorrisos, só vejo sorrisos, mesmo desdentados com estilo, que bom 🙂 E lá está, continuam a fazer muito bem as contas, só podia ser rapaz a seguir à Sara 🙂 beijinhos

  8. Cristina Santos

    Lindo! 💖 😙

  9. Que lindo!! Obrigada por partilharem. Também somos contagiados por tanta Alegria e Graça.

  10. Família das famílias. Muitos parabéns. Tenho saudades de estar convosco. Um beijinho grande. Noémia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Mais recentes...