Em Caná da Galileia...


Exame de consciência

O tema da Confissão, do retiro de quaresma, já está disponível em vídeo aqui no nosso canal. É também esse o tema do Ensinamento Mensal de abril. Já o leram e meditaram em família?

Há um ano, por esta altura, disse aos meninos do meu grupo de catequese – adolescentes de onze e doze anos – que o senhor padre esperava por eles no confessionário. Olharam-me, admirados: “Outra vez?” “Outra vez o quê?” Respondi, sem compreender. “Outra vez confessarmo-nos? Fomos à confissão antes do Natal, e de lá para cá, não deu tempo de fazer pecados!”

Este é, na verdade, um problema sério. Refiro-me, não à falta de pecados, mas à incapacidade que os cristãos sentem de fazer um exame de consciência honesto e profundo. Porque a catequese da maioria dos cristãos terminou quando terminou a infância, a sua noção de pecado permanece, também ela, infantil. E infelizmente, por falta de tempo ou outras razões, os nossos pastores falam-nos muito da misericórdia divina, mas apontam pouco para a nossa miséria, não nos elucidando suficientemente sobre o que é ou não pecado.

Escutemos o diálogo entre o jornalista Andrea Tornielli e o Papa:

«Como fazemos para nos reconhecermos pecadores? Que dizer a alguém que não se sente dessa forma?» «Aconselharia a pedir esta graça! Sim, porque reconhecermo-nos pecadores é uma graça. Sem a graça, no máximo podemos dizer: estou limitado, estes são os meus erros. Mas reconhecermo-nos como pecadores é outra coisa. Significa pormo-nos perante Deus, que é o nosso tudo, apresentando-lhe nós mesmos, ou seja, o nosso nada. As nossas misérias, os nossos pecados. É realmente uma graça que se deve pedir.» (O Nome de Deus é Misericórdia)

Para iluminarmos os recantos mais escuros da nossa alma e tomarmos consciência dos nossos pecados, precisamos conhecer a Lei de Deus, como nos diz S. Paulo:

Pela Lei vem o reconhecimento do pecado. (Rm 3, 20)

Ora a Lei de Deus aprende-se nas Escrituras e no Catecismo… Quanto mais variadas as passagens das Escrituras e os pontos do Catecismo meditados, mais variados os recantos iluminados da nossa alma e da nossa vida. Porque se os Mandamentos apontam para certos pecados, as Bem-aventuranças, por exemplo, apontam para outros.

Enquanto preparava o retiro de famílias, tomei a liberdade de escrever um Exame de Consciência para partilhar convosco. Procurei oferecer-vos as passagens das Escrituras e os pontos da doutrina que me ajudam a mim a examinar a minha consciência, e no final, desafiar-vos a fazerdes o mesmo. Está alojado em Da Nascente, Orações, e fica também aqui:

EXAME-DE-CONSCIÊNCIA

Na caixa de comentários, aguardo as vossas sugestões de outras passagens bíblicas!

Que a Páscoa que se aproxima nos encontre vestidos com a veste nupcial, prontos para o grande banquete…

3 Comments

  1. Olívia Batista

    Muito, muito obrigada por esta partilha, já fazia falta ter não só uma lista de pecados, mas a base sobre a qual nos deveríamos orientar (e que deveria estar disponível em todos os confessionários)!

  2. Muito obrigada!!
    A minha filha mais velha vai fazer a primeira comunhão a seguir à Páscoa e já foi uma vez à confissão.
    Desde que ela recebeu este Sacramento que eu ando para me confessar também.
    Há muitos anos, talvez décadas, que não me confesso…
    Apesar de ser católica praticante…
    Shame on me.
    Por um lado, tinha “medo” de me confessar por não ser capaz de imaginar como comprimir pecados de tantos anos numa confissão de minutos.
    Com este post a Teresa (malandra!) deixou-me sem argumentos… Bolas, lá vou ter de me confessar antes da Páscoa.

  3. Muito obrigada pela partilha. Também já li o ensinamento de Abril. Muito profundo. Aprendo tanto com tudo o que escreve. Muito obrigada, uma vez mais!

    Bem Haja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *