Em Caná da Galileia...


O presente das férias

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

Minha vida é um instante, um rápido segundo,
Um dia só que passa e amanhã estará ausente;
Só tenho, para amar-Te, ó meu Deus, neste mundo,
O momento presente!…

Como Te amo, Jesus! Por Ti minha alma anseia;
Sejas meu doce apoio por um dia somente.

Reina em meu coração: Teu sorriso incendeia
Agora, no presente!

Que me importa, Senhor, se no futuro há sombra?Rezar pelo amanhã? Minha alma não consente!
Guarda meu coração puro! Cobre-me com tua sombra
Agora, no presente!

(…)
Devo ver-te em breve na praia eterna,
Ó Piloto Divino, cuja mão me conduz.
Sobre as vagas em fúria, guia minha barquinha
Agora, no presente.
(…)
Logo voarei ao céu para que aí profira
Meus louvores a Ti, no dia sem poente,
Quando, então, cantarei em angélica lira
O Eterno presente!…
(Santa Teresinha, in Poesias, Obras Completas)

Os escritos de Santa Teresinha acompanham-me desde a adolescência. Quando casei, adquiri as suas Obras Completas, que continuo a ler de vez em quando, antes de adormecer. Num destes dias, enquanto contemplava, por entre chuva miudinha, as ondas brancas do mar a bater na areia, e os meus filhos, aos gritos de alegria, a mergulhar na espuma para logo ressurgir das águas, recordei-me deste poema, que conhecia em parte de cor. Ao chegar a casa, procurei-o, e decidi partilhá-lo convosco.

Férias grandes. Presente de Deus para que todos nos deleitemos a viver o presente. Tempo para estar, para ser, para contemplar, para saborear o mais possível em família os dons e as graças recebidas sem qualquer merecimento da nossa parte.

Pois que fizemos nós para merecer uma praia imensa, deserta, magnífica, numa amena manhã de chuva, com a areia e o mar todos nossos? Que fizemos nós para merecer uma serena manhã de sol, na mesma praia, cheia de amigos e de bolas, de conchas e de baldes de brincar?

Tudo é dom, mas dom que é “presente”, oferecido por Deus para ser saboreado, degustado, agora. E no entanto, quantas pessoas encontro todos os dias que, recebendo de Deus o privilégio das férias, se queixam da chuva, do vento ou da água fria do mar, adiando os passeios em família e as brincadeiras com os filhos para um tempo que provavelmente nunca chegará!

Com Santa Teresinha, aprendi desde cedo a agradecer a Deus o frio e o calor, a alegria e a tristeza, a saúde e a doença, a riqueza e a pobreza. O presente que Deus me dá para viver é o presente que Lhe quero agradecer, seja ou não do meu agrado, contando que seja do seu. E vivê-lo plenamente, profundamente, sem desperdiçar um só segundo.

E mesmo que a vida ou o tempo pareçam estar de pernas para o ar, eu sei que só tenho o momento de hoje, com as suas circunstâncias, para O amar.

Senhor, ensina-me a não me queixar, a não refilar, a não deitar fora nenhum presente que me ofereces. Senhor, ensina-me a agradecer-Te o sol e a chuva, o sofrimento e o prazer, porque só tenho o instante presente – agradável ou desagradável – para Te amar! Ámen.

4 Comments

  1. Acabou de fazer brilhar um raio de sol numa manhã cinzenta!
    A Beatriz foi à praia num dia de sol, quentinho… e desde então que está doente. Nós precisamos imenso de aprender a não refilar, a agradecer … o outro tanto que Deus nos Dá!
    Viver o presente à Luz de Cristo, cultivar o Amor e encontrar a Deus!

    • Já sentimos a vossa falta no areal! As melhoras para a Bea, rapidamente, para tomarmos banho todos juntos no mar! Bjs

  2. Oh Teresa, quanta saudade! Estou ensaiando te escrever um e-mail faz mais de um ano! Hoje entro e vejo esse post que fez tão bem ao meu coração. Obrigada. Logo te dou notícias por e-mail aqui do Brasil. Beijos em todos!!

    • Uau, Bruna, que alegria ler-te de novo! Já tinha pensado em ti muitas vezes! Dá notícias, sim, fico a aguardar! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *