Atualidade

atualidade@familiasdecana.pt

Igreja prepara novo plano de formação para catequistas em Portugal

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

O presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé abordou esta quinta-feira, dia 5 de abril, no Encontro Nacional de Catequistas, em Setúbal, o novo modelo de formação de catequistas. D. António Moiteiro disse que o plano nacional quer abarcar “todas as fases etárias da catequese”, crianças, jovens e adultos.

O bispo de Aveiro sustenta que o trabalho de catequese se apoia num “tripé”: os catequizandos; as famílias e a comunidade cristã; e os catequistas.

“A comunidade cristã tem de sentir que ela é educadora da fé dos mais novos e aí temos muito ainda a caminhar”, destaca.

Já na intervenção integrada no Encontro Nacional de Catequistas, D. António Moiteiro defendeu uma formação que leve os catequistas a terem presente a importância do “primeiro anúncio” da fé, às crianças, jovens e adultos, e uma atenção especial às famílias.

O responsável realçou que a realidade social é diferente do contexto de há 100 anos, em que a preocupação era passar os conteúdos, que depois eram reforçados na família e na paróquia.

Hoje “a catequese não pode partir do pressuposto que esse primeiro anúncio já foi feito”, frisou D. António Moiteiro.

O novo modelo vai estar em análise na próxima assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que vai decorrer entre 09 e 12 de abril em Fátima.

A reunião magna da CEP vai debater uma proposta de um ‘Plano de Formação de Catequistas’, proposto pela Comissão Episcopal da Educação Cristã e da Doutrina da Fé, tendo como base o documento “Catequese: A alegria do encontro com Jesus Cristo”.

O plano de formação de catequistas defende que a melhor forma de passar aos mais novos e aos adultos a riqueza e o entusiasmo da fé é ajudar esses educadores a serem antes de mais também “discípulos”, a ensinarem ‘pelo exemplo”, e que cada catequista seja “modelo” e “guia espiritual” que acompanha os outros na descoberta da fé.

O bispo de Aveiro deixou uma interpelação aos responsáveis de Catequese presentes no encontro: “Não sei se hoje as comunidades cristãs se reveem nos seus catequistas”.

Na sua intervenção, D. António Moiteiro colocou também a tónica na urgência de catequistas que mostrem aos outros uma verdadeira experiência pessoal de Deus e de vivência da fé.

“O problema de nós catequistas e até de nós padres é muito isto, ter experiência de…”, relevou o prelado, acrescentando que quem não vive entusiasmado com a sua missão não pode esperar entusiasmar os outros.

No Encontro Nacional de Catequese, que decorre desde esta quarta-feira em Setúbal com cerca de 60 participantes, chegou agora a fase de discussão do modelo de formação de catequese.

Fonte: Agência Ecclesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *