Atualidade

atualidade@familiasdecana.pt

Roma: Beatificação de madre Clélia Merloni

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

A fundadora do Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, Madre Clélia Meloni, foi beatificada este sábado, na Basílica de São João de Latrão, em Roma (Itália).

“O centro da sua fé permaneceu sempre o Cristo, encontrado sobretudo no mistério eucarístico, nas longas horas passadas na capela, mesmo à noite e doentes”, disse o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

Na homilia, divulgada pela sala de imprensa da Santa Sé, D. Giovanni Angelo Becciu realçou que demonstrou “uma ternura extraordinária em esquecer os insultos que sofreu” mas “abraçou os sofrimentos, oferecendo-os ao Senhor e vendo neles as várias facetas do amor de Deus por ele”.

A Congregação das Causas dos Santos, com os médicos especialistas, bispos e cardeais, aprovou o milagre ao médico brasileiro Pedro Ângelo de Oliveira Filho, de Ribeirão Preto, por intercessão de Madre Clélia.

Uma progressiva paralisia dos braços e pernas afetou repentinamente Pedro Ângelo Filho que foi internado de urgência, na Santa Casa de Misericórdia de Ribeirão Preto, e diagnosticado síndrome de Landry ou Guillain Barré, que causou também insuficiência respiratória aguda.

O sítio online ‘Vatican News’ conta que a esposa, Angelina Oliva, pediu orações à irmã Adelina Alves Barbosa e a religiosa sugeriu “uma novena a Madre Clélia, com uma foto e uma relíquia”, com uma partícula do véu da madre.

Uma nota enviada à Agência Ecclesia  informa que as Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus estão presentes na Diocese de Setúbal, desde 2 de fevereiro de 2017, mais concretamente uma comunidade religiosa inicialmente para atuar “no acolhimento aos peregrinos no Santuário Nacional de Cristo Rei, em Almada”.

Clélia Cleópatra Merloni nasceu em Forli, Itália, a 10 de março de 1861, e à medida que ia “crescendo sentia-se sempre mais atraída para a oração e a solidão da intimidade com Deus do que para a vida social da elite ou para administrar os negócios da família, conforme seu pai teria desejado”, lê-se na nota.

A 30 de maio de 1894, Madre Clélia fundou o Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, na cidade de Viareggio (Lucca-Itália), colocando a serviço dos mais necessitados e marginalizados todo o seu “potencial carismático, suas energias, seu zelo apostólico e a considerável herança deixada por seu pai”.

“Um carisma atual e fascinante: Oferecer-se total e alegremente ao Coração de Jesus para ser um sinal vivo e credível do amor de Deus pela humanidade”, realçou D. Giovanni Angelo Becciu na sua homilia, esta manhã na Basílica de São João de Latrão.

Madre Clélia morreu em Roma, em 21 de novembro de 1930 e seu corpo depois de ser exumado em 1945 e encontrado incorrupto, agora repousa na Capela da Casa Geral das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, em Roma.

Fonte: Agência Ecclesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *