Atualidade

atualidade@familiasdecana.pt

“Vou à missa e leio a Bíblia todos os dias”, revela Nélson, ex-jogador de futebol

Tem uma ligação muito forte à religião. A revelação foi feita à TSF. Nélson começou a carreira nos juniores do Salgueiros mas como sénior afirmou-se no Sporting. Depois jogou em Inglaterra pelo Aston Villa, foi contratado FC Porto de Fernando Santos, no verão de 1998. Foi campeão no estádio das Antas, onde também conquistou uma Taça de Portugal.

“Vou à missa todos os dias. Leio a bíblia todos os dias, faço orações todos os dias. Essa proximidade ajuda-me tremendamente para poder sobreviver espiritualmente”, conta Nelson em entrevista à TSF, acrescentando que já leu a bíblia “cinco ou seis vezes”.“Vou à missa todos os dias. Leio a bíblia todos os dias, faço orações todos os dias”, garante Nélson.

Nesta conversa com a TSF, o antigo jogador de leões e dragões revela a paixão por Deus.

“Não consigo conceber a minha vida sem uma grande proximidade com Deus. Acredito em Deus. Deixou-me algo para me orientar e essa orientação é Bíblia”, assume, explicando que “o seu relacionamento com a religião passa muito pela leitura que Deus fez na terra”.“Não consigo conceber a minha vida sem uma grande proximidade com Deus. Acredito em Deus. Deixou-me algo para me orientar e essa orientação é Bíblia”, disse.

Nesta entrevista, Nelson conta que é membro Opus Dei, revelando qual é o seu papel naquela organização religiosa. “É a santificação no meio do mundo. É deixar de parte aquela ideia que a santidade no mundo está reservada a uns quantos eleitos, que têm que se retirar para um claustro ou um mosteiro. Viver uma vida isolado mas depois santificar-se”, disse.

Foto: TSF

Atualmente, Nélson trabalha no colégio João Paulo II, em Braga, um estabelecimento de ensino ligado à Igreja e pertence à arquidiocese bracarense. Nélson é o gestor desportivo do colégio, que tem várias equipas de futebol. O ex-jogador preparou-se para exercer este cargo, tirando o curso de Gestão Desportiva, na Universidade Católica.

Ouça a entrevista completa aqui

Fonte: TSF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *