A maldade e a bondade das crianças

Três horas e meia, em frente ao portão da escola do primeiro ciclo aqui na nossa aldeia. As aulas já terminaram. A Lúcia vem a correr abraçar-me, mas o António, como sempre, tem mais duas ou três pedras para apanhar do chão enlameado. Quando, finalmente, chega junto de mim, pego na sua mochila e não contenho uma exclamação: “Ena, que peso! Mas o que trazes tu aqui dentro?” A Marília, simpática auxiliar que vigia o recreio, sorri-me e antecipa a resposta: “Ouro…” Ela já conhece o António e sabe os tesouros que ele transporta casa-escola escola-casa diariamente. Espero até chegar(…)

Ler mais

Natal em terra de pastores

Na manhã de sábado, dia 30, Fátima tinha um céu azul e um sol quentinho para nos receber. Que bênção tão grande! Agradecidos, apressámo-nos a iniciar o nosso Retiro. Pouco a pouco, com entusiasmo e alegria, as famílias foram chegando. Algumas já são Famílias de Caná há algum tempo, e é sempre uma festa imensa estarmos juntos e partilharmos reflexões, gargalhadas, caminho. Outras vieram pela primeira vez. Vinham com receio, mas com o coração aberto. E bastaram alguns minutos para que se sentissem em casa, os filhos a brincar com os outros filhos, os pais a conversar com os outros(…)

Ler mais

Amizade e visitação

No primeiro dia de aulas na escola nova, iniciando o quarto ano, a Lúcia chegou a casa muito feliz: “Mamã, fiz novas amigas! Estou tão contente!” E no dia seguinte, quando a fui buscar às três e meia, olhou para mim desapontada: “Já? Não posso ficar só mais um bocadinho a brincar? Queria estar mais tempo com as minhas amigas…” No fim-de-semana, fomos juntas à casa da amiga, aqui no fim da rua, para a chamar a brincar em nossa casa e em Náturia, o descampado por detrás. Outra semana passou entretanto, e a alegria na escola, em casa e(…)

Ler mais

O meu próximo e os seus fardos

Uma das coisas mais bonitas do nosso Acampamento foi o cuidado que cada um teve com cada outro, e isto deste o primeiro instante: É preciso ajudar alguém a montar uma tenda – ou, especialmente, a desmontar, que segundo parece, é bem mais difícil? Há vários braços a querer ajudar. É preciso carregar um bebé, enquanto os pais se ocupam dos outros filhos? Não faltam ofertas! É preciso dar uma sopa, mudar uma fralda, acalmar um choro? Vamos a isso!  É preciso lavar as casas-de-banho, a churrasqueira, as mesas de piquenique? Todos ajudam. Uma família de cinco pessoas está demasiado(…)

Ler mais

E o Acampamento de Caná aconteceu!

Eu sei que tinha prometido o post para segunda-feira mas, no domingo, o Primeiro Acampamento de Caná não estava com pressa nenhuma em acabar, e já passava das seis da tarde quando chegámos a casa. E digo “primeiro” porque, no final, nas despedidas, a pergunta repetia-se: “Quando é o próximo?” Passei a segunda-feira a lavar, estender e passar roupa, no meio de enorme barafunda de tendas, sacos-cama, bicicletas e sapatilhas sujas, alguma rabugice de filhos (e pais) cansados e muitas horas de sono por recuperar. Enquanto me movimentava no meio de toda esta feliz confusão fui refletindo e imaginando o(…)

Ler mais