O nosso retiro

No sábado passado tivemos o nosso retiro Famílias de Caná, especialmente pensado para as famílias que se sentem comprometidas com o movimento e o querem vir a assumir publicamente. Que dia maravilhoso! Tudo o que pudermos dizer sobre ele não tocará senão na superfície… A manhã reluzia ao sol, o Centro Social S. José de Cluny tinha as portas abertas para nos receber, e famílias de rostos felizes saltavam dos carros com alegre expetativa. Sentíamo-nos entre amigos, pois a maioria das pessoas já se tinha cruzado em retiros anteriores, e os poucos que não se conheciam foram calorosamente acolhidos por(…)

Ler mais

Não passeis adiante

A primeira leitura da missa de hoje, domingo XVI do Tempo Comum, é uma das minhas passagens preferidas da vida de Abraão. Quantos ensinamentos neste curto episódio do nosso pai na fé! Encontramo-la em Gen 18, 1-10. Abraão estava sentado à entrada da sua tenda, no maior calor do dia… Ontem, a nossa família foi ao Ribatejo visitar a família Batista, que vive numa pequenina aldeia no meio de uma imensa planície, onde os campos de arroz se estendem até ao horizonte, os touros passeiam nos campos e as cegonhas fazem ninhos mesmo diante dos nossos olhos. O dia não(…)

Ler mais

Aprovação Diocesana do Movimento Famílias de Caná

A manhã do dia 3 de julho de 2016 nasceu radiosa, quente e azul. Acordámos de um salto, com uma alegria nova: o grande dia chegara! As Bodas de Caná iam mesmo acontecer, aqui e agora, na nossa vida e no Santuário Nossa Senhora Auxiliadora, neste cantinho do mundo chamado Mogofores. Como noivos no dia do seu casamento – e que outra coisa não éramos nós? – as Famílias de Caná dispersas pelo país exultavam de alegre expetativa. O calor era muito, a distância a percorrer, para algumas famílias, era muita também, e três horas dentro de um carro escaldante(…)

Ler mais

Os nossos encontros

No Santuário Nossa Senhora Auxiliadora, os primeiros sábados são dias de adoração contínua diante do Santíssimo exposto. A nossa Aldeia de Caná decidiu assumir uma hora de adoração, geralmente das 16 às 17, aberta a todas as pessoas que nela queiram participar, mas bem caracterizada pela nossa espiritualidade. Assim, nesta hora diante de Jesus, nós cantamos, louvamos o Senhor com palmas e muita alegria, rezamos uns pelos outros e pelo mundo inteiro, em voz alta ou em silêncio, de acordo com a sensibilidade de cada um. Como em nossas casas, também aqui nós iniciamos a oração com o Shemá e(…)

Ler mais

    Mais recentes...