O dom mais precioso

O Daniel já faz parte das brincadeiras familiares. Ora vejam como ele – quase – brinca com o António e a Sara na sala: E vejam também como ele – quase – aprende a fazer o cubo mágico com os outros nossos três rapazes: Pensei que ao fim de mês e meio, a novidade se tivesse esgotado e o Daniel deixasse de ser a prioridade dos irmãos. Enganei-me. A primeira coisa que os manos fazem, ao chegar da escola, é lavar as mãos para poderem pegar-lhe ao colo. E a primeira coisa que fazem, ao acordar, é correr ao nosso(…)

Ler mais

Brincar é coisa séria!

Vivemos tempos sérios, hoje em dia. Gostamos que nos convidem para coisas sérias e importantes, que valham a pena e rendam qualquer coisa. Assim, se a atividade de catequese for séria e obrigatória, com direito a faltas, as crianças e os pais vão aparecendo. Mas se a atividade for um magusto, com direito a jogos e sujidade, então não é séria nem obrigatória, e nem crianças, nem pais aparecem. Haverá algo mais sério na infância do que brincar? Haverá algo mais sério na vida de pais do que brincar com os seus filhos? Época de testes… Estudo atrasado… Demasiadas Atividades(…)

Ler mais

Onde mora o verdadeiro perigo?

Férias familiares no Gerês. Mais um longo e calmo dia passado na barragem de Vilarinho das Furnas, no alto da montanha. Geralmente, estamos sós. Mas neste dia em particular, vemos chegar um grupo grande de pessoas, aparentemente três famílias amigas entre si. As crianças correm para a água e, felizes, saltam e gritam de alegria, mergulhando e chapinhando. Sentada na margem, cuidando das bonecas da Sara que estão a secar depois do banho (também sei cumprir ordens…), observo. E é então que vejo uma das mães levantar-se da sua toalha, pousar o telemóvel com que até essa altura se entretivera(…)

Ler mais

Tempo de família… com chuva

Depois de tanto pedirmos a Deus o dom da chuva, ei-la para ficar, e ficar, e ficar… E ainda há quem diga que Deus não escuta as nossas orações?! Quando chega a hora de ir buscar os meus filhos à escola, nestes últimos dias, rezo por um pouquinho de sol, ou pelo menos, por uma trégua na chuva. É que dez pessoas numa casa tipo T3, sem poder ir lá fora, não é fácil. Já para não falar nos fins-de-semana… No fim-de-semana anterior a este, a Sofia Portela, a namorada do Francisco, veio visitar-nos. Assim, fomos onze fechados numa casa,(…)

Ler mais

Os montes da infância

Catequese, domingo de manhã, depois da missa das dez. Diante de mim, um grupo de meninos e meninas de onze e doze anos. Hoje falamos sobre os Dez Mandamentos, a propósito da leitura da missa desta manhã, e sobre o bezerro de ouro e os nossos “bezerros de ouro”, a partir do texto de Os Mistérios da Fé (já têm os três livros desta coleção, que eu escrevi?). “Para entendermos bem o que aconteceu a Moisés sobre o monte Sinai, pensem nos montes a que já subiram, nos rochedos que já escalaram, naquela sensação do vento a fustigar-vos o rosto,(…)

Ler mais