Apenas o melhor

Um dia um voluntário perguntou a Tom Cornwell, membro do staff, se havia algum padrão relativamente àquilo que era comprado (para servir aos pobres nas Casas de Hospitalidade). “Claro”, replicou Tom. “Apenas o melhor, e o melhor não é demasiado bom para os pobres de Deus.” Fora esta a visão de Dorothy desde os primeiros dias: “Que maravilha sermos atrevidamente perdulários, ignorarmos o preço do café e continuarmos a servir bom café e pão do melhor à longa fila de miseráveis que nos procuram.” (Jim Forest, Tudo é Graça – a Revolução de Dorothy Day) “Os pobres não gostam de(…)

Ler mais

A intercessão, a Rede de Oração e Dorothy Day

“Nunca conheci ninguém mais disciplinado na sua vida espiritual que Dorothy: Missa diária, devoção do Rosário, confissão frequente, períodos de oração particular e de intercessão todos os dias. Quantas vezes a vi de joelhos numa das igrejas paroquiais próximas! Reparei que, enquanto Dorothy rezava, recorria muitas vezes a pedacinhos de papel. Certa tarde, tendo Dorothy sido chamada a sair da capela para atender um telefonema urgente, folheei o livro de orações que ela deixara no banco e descobri várias páginas seguidas de nomes, todos escritos com a sua cuidadosa letra inclinada, de pessoas, tanto vivas como mortas, por quem estava(…)

Ler mais

Os Santos da História, a História dos Santos, Dorothy Day e as aulas de Inglês

“Abre, abre, Teresa, mal posso esperar!” O Niall chegara a casa com uma prenda para mim. Tinha entrado numa livraria e, para sua grande alegria, encontrara na estante um livro especial. O Niall sabe que não há melhor presente para me dar do que um livro sobre a vida de um santo que eu ainda não tenha lido – o que não é assim tão fácil de encontrar! Quando encontra, não hesita em comprar para me surpreender, mesmo que eu não faça anos e mesmo que não seja Natal 🙂 Abri o embrulho. Lá dentro, a biografia da Serva de(…)

Ler mais