A maldade e a bondade das crianças

Três horas e meia, em frente ao portão da escola do primeiro ciclo aqui na nossa aldeia. As aulas já terminaram. A Lúcia vem a correr abraçar-me, mas o António, como sempre, tem mais duas ou três pedras para apanhar do chão enlameado. Quando, finalmente, chega junto de mim, pego na sua mochila e não contenho uma exclamação: “Ena, que peso! Mas o que trazes tu aqui dentro?” A Marília, simpática auxiliar que vigia o recreio, sorri-me e antecipa a resposta: “Ouro…” Ela já conhece o António e sabe os tesouros que ele transporta casa-escola escola-casa diariamente. Espero até chegar(…)

Ler mais

Prendas (i)merecidas e as notas escolares

“Mãe, hoje quero rezar pela minha amiga. Ela só vai ter prendas de Natal se tiver boas notas a tudo. E eu sei que ela não consegue ter… Nunca vai tirar positiva a Matemática! Vamos rezar muito para que ela tenha prendas de Natal. E nós também lá podemos ir levar uma prenda, não achas? Assim, mesmo que a mãe não lhe dê nada, nós damos!” Descansei a Lúcia. Claro que iremos levar uma prenda de Natal à sua amiga. E a outros amiguinhos. Não vamos permitir que alguém fique sem receber um pequeno presente nesta época… Este pequeno diálogo(…)

Ler mais

Os Santos da História, a História dos Santos, Dorothy Day e as aulas de Inglês

“Abre, abre, Teresa, mal posso esperar!” O Niall chegara a casa com uma prenda para mim. Tinha entrado numa livraria e, para sua grande alegria, encontrara na estante um livro especial. O Niall sabe que não há melhor presente para me dar do que um livro sobre a vida de um santo que eu ainda não tenha lido – o que não é assim tão fácil de encontrar! Quando encontra, não hesita em comprar para me surpreender, mesmo que eu não faça anos e mesmo que não seja Natal 🙂 Abri o embrulho. Lá dentro, a biografia da Serva de(…)

Ler mais

Não temas! Estou contigo.

Aproximava-se o primeiro dia de escola do David, no início de setembro. As mudanças tinham sido muitas: todos os nossos filhos tinham saído do colégio católico das Irmãs de S. José de Cluny, que frequentavam desde o ano de idade, devido à perda do contrato de associação e à impossibilidade de pagar as mensalidades. A Sara mudara de pré-escola, o António e a Lúcia passaram para a escola pública de Mogofores, a Clarinha passara para a secundária, no agrupamento onde eu leciono. Restava-me decidir sobre o David, no sexto ano. Em oração, como sempre, procurei respostas. Devia o David seguir(…)

Ler mais

Amizade e visitação

No primeiro dia de aulas na escola nova, iniciando o quarto ano, a Lúcia chegou a casa muito feliz: “Mamã, fiz novas amigas! Estou tão contente!” E no dia seguinte, quando a fui buscar às três e meia, olhou para mim desapontada: “Já? Não posso ficar só mais um bocadinho a brincar? Queria estar mais tempo com as minhas amigas…” No fim-de-semana, fomos juntas à casa da amiga, aqui no fim da rua, para a chamar a brincar em nossa casa e em Náturia, o descampado por detrás. Outra semana passou entretanto, e a alegria na escola, em casa e(…)

Ler mais