Maravilhas

O Daniel está quase a fazer um mês. Há tão pouco tempo que irrompeu nas nossas vidas, e já ocupa um lugar que é só seu e que todos lhe reconhecemos! Como chegou a casa, vindo da maternidade, no último dia de aulas do período, o Daniel passou quinze dias intensivos de convívio familiar, experimentando todos os colos da família e arredores, entre irmãos, tios, primos, avó e amigos. Houve quem quisesse saber se o Daniel cabia na caminha das bonecas… E houve quem descobrisse que também se pode estudar para exames de engenharia com um bebé ao colo: Agora,(…)

Ler mais

Abram alas!

Quando, ao serão, nos sentamos todos na sala para a Oração Familiar, passamos por algumas pequenas discussões sobre o espaço que cada um ocupa: “Chega para aí, o sofá não é todo teu!” “Não dês pontapés, vais aleijar-me!” “Não vês que eu estava nessa cadeira e só me levantei para ir buscar um copo de água? Sai!” A situação complica-se quando o meu cansaço, que àquela hora já é muito, exige que o sofá mais pequeno seja todo para mim, a fim de me poder deitar nele enquanto rezamos. Outro dia, ao escutar estes comentários pouco simpáticos entre filhos em(…)

Ler mais

Daniel Patrick

Ainda faltam alguns meses para nascer, mas já é o centro do mundo. Os irmãos mal podem esperar para lhe pegar, para o embalar, para lhe oferecer um brinquedo. “Agora já sou crescida, já confias em mim para cuidar do bebé, não é, mãe?” Diz-me a Clarinha. E eu sei que sim, que será para mim um tempo de muito maior sossego, este de ter um filho que nasce numa família já “crescida”. Longe vão os dias de angústia perante o choro de um recém-nascido, os momentos de pânico diante da escolha entre amamentar o bebé ou socorrer o irmão(…)

Ler mais

Paciência

Perante a minha oitava gravidez, a pergunta que mais vezes me é feita tem-me deixado surpreendida. Não, não é se sou rica – ao que eu respondo sempre que sim, pois quem tem filhos é rico – nem se a minha casa é uma mansão – ao que eu respondo que não, que temos um quarto para rapazes e um para raparigas, independentemente do número – A pergunta que mais vezes me é feita é esta: “Onde vais tu arranjar paciência para tantos filhos?!” Eu respondo em tom de brincadeira, dizendo que a paciência faz parte do kit de entrega(…)

Ler mais

Surpresa

Finais de maio, hora de jantar. Sobre a mesa coloco uma linda caixinha vermelha com uma fita. Um presente para todos. Os meninos chegam à cozinha e sentam-se à mesa. “O que é isto, mãe?” Perguntam. “São chocolates?” Mas o Francisco troca olhares com a Clarinha: “Onde é que eu já vi uma caixinha sobre a mesa de jantar?! Clarinha, acho nós já assistimos a várias cenas destas… Será possível?!” Eu faço-me séria. “Não são chocolates, não. É um presente de Natal.” “De Natal?” Agora a curiosidade está ao rubro. “A Sara vai ter o direito de abrir, porque é(…)

Ler mais

    Mais recentes...