Daniel Patrick

Ainda faltam alguns meses para nascer, mas já é o centro do mundo. Os irmãos mal podem esperar para lhe pegar, para o embalar, para lhe oferecer um brinquedo. “Agora já sou crescida, já confias em mim para cuidar do bebé, não é, mãe?” Diz-me a Clarinha. E eu sei que sim, que será para mim um tempo de muito maior sossego, este de ter um filho que nasce numa família já “crescida”. Longe vão os dias de angústia perante o choro de um recém-nascido, os momentos de pânico diante da escolha entre amamentar o bebé ou socorrer o irmão(…)

Ler mais

Aborto: Ellinor é contra e a Suécia não a deixa fazer partos

Na Suécia, a falta de parteiras é tão grave que o Governo financia a sua formação. Mas apesar de ter beneficiado dessa formação, após anos de experiência enquanto enfermeira, Ellinor Grimmark viu-se impedida de trabalhar como parteira no sistema de saúde sueco e acabou por aceitar um emprego na vizinha Noruega. Lá, atende várias compatriotas que vão dar à luz na Noruega por falta de parteiras na Suécia. A razão de ser desta situação paradoxal é que Ellinor se recusa, por razões de consciência, a participar em abortos. Sempre deixou clara a sua objeção de consciência, assente na sua convicção de(…)

Ler mais

Castelos na areia

Quando fiz uma experiência de missão com as Missionárias da Caridade em Lisboa, antes de casar, aprendi um cântico que julgo já ter partilhado. Cantámo-lo na missa do nosso casamento. Gostamos de o cantar em família na Oração Familiar. E eu gosto de meditar nele durante a minha oração pessoal. Um dos versos diz assim: The dream I have today, my Lord, is only a shadow of your dreams for me If I but follow you! (O sonho que hoje eu tenho, Senhor, é só uma sombra dos teus sonhos para mim se eu Te seguir!) Quando casámos, ficámos a(…)

Ler mais

Paciência

Perante a minha oitava gravidez, a pergunta que mais vezes me é feita tem-me deixado surpreendida. Não, não é se sou rica – ao que eu respondo sempre que sim, pois quem tem filhos é rico – nem se a minha casa é uma mansão – ao que eu respondo que não, que temos um quarto para rapazes e um para raparigas, independentemente do número – A pergunta que mais vezes me é feita é esta: “Onde vais tu arranjar paciência para tantos filhos?!” Eu respondo em tom de brincadeira, dizendo que a paciência faz parte do kit de entrega(…)

Ler mais

Quando fazes a amniocentese?

Esta pergunta a uma grávida de 46 anos é tão frequente, que merece aqui algum destaque. A minha resposta, naturalmente, é que não faço amniocentese. Então surge a surpresa: “Mas não é obrigatória na tua idade?” A amniocentese é um diagnóstico pré-natal invasivo, que comporta um risco mínimo de aborto espontâneo (geralmente 1 em 100 ou um em 300, dependendo da perícia do médico e do tempo de gestação) e que serve para uma única coisa: detetar malformações genéticas no bebé, ou dito depressa e bem, verificar se o bebé é ou não portador de trissomia 21 (síndrome de Down).(…)

Ler mais