Namoro, matrimónio, divórcio e muita confusão

“Mãe, não imaginas a conversa surreal que tive hoje com uma colega minha”, disse-me a Clarinha, de dezasseis anos, à hora de almoço. Alguns dias na semana, ela vem a casa almoçar comigo. “E esta colega é menina de catequese e missa, como eu! E ainda por cima é uma querida. Gosto muito de conversar com ela, mas…” “Então, conta lá.” “Perguntei-lhe, sabes, por perguntar, se ela se queria um dia casar. Eu gosto de pensar na minha vocação, imaginar qual será, sabes… Ela respondeu: «Casar? Nem pensar! Que disparate! Nunca!» Eu fiquei admirada com a reação e perguntei-lhe porquê.(…)

Ler mais

Namorados, e então?

“Mamã, tenho uma amiga e não sei como é que ela existe.” “O quê, Lúcia?” “Sim, ora vê: ela diz que os pais não estão casados, são só namorados. Explica-me: como é que ela nasceu?” Dei-lhe a explicação possível, por entre sorrisos divertidos dos mais velhos, à volta da mesa do jantar. Mas isto de separar biologia e sacramento, ou biologia e decisão social, quando se conversa com uma menina de oito anos, não é tão simples quanto parece! O David acrescentou então: “Sabes, Lúcia, é normal não ter os pais casados. Há vários meninos assim, não é só a(…)

Ler mais

Tempo de Casal em jeito de retiro

“Está, Teresa? Acabo de aterrar em Lisboa. Devo chegar a casa pelas seis da tarde!” O Niall ligava-me do aeroporto, depois de mais uma das suas frequentes viagens de dois ou três dias ao estrangeiro. Mas eu não estava em casa… “Niall, eu estou em Fátima! Sim, foi hoje a entrevista. Porque não páras aqui, e namoramos um bocadinho?” Há muito que Fátima se tornou local de namoro para nós. Afinal, não foi em Fátima que nos casámos, há vinte anos atrás? “Ena, estás a falar a sério? Vou já para aí.” Quando surgiu o convite para estar em Fátima(…)

Ler mais

Um namoro em Caná… No século XXI

Escrito pelo Francisco Power e pela Sofia Portela: Antes de começar, uma breve apresentação: o Francisco já toda a gente sabe quem é, ilusionista, futuro engenheiro mecânico, e tal… A Sofia Portela tem 18 anos, é de Sintra e está a tirar licenciatura em Ciências Musicais na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Vem de uma família católica, é organista e salmista na sua paróquia e pertence às Famílias Hospitaleiras, que são uma “sequela” da Juventude Hospitaleira. Francisco: Acordei no dia 20 de setembro de 2014 entusiasmado e preparado para um dia de retiro das(…)

Ler mais