Foi para isto?

“Deixei de frequentar a igreja há muitos anos. Na altura, ia batizar o meu filho mais velho, e o padre não me deixou escolher para padrinhos quem eu queria. Nunca mais pus os pés na igreja.” “Este ano tomei uma decisão: nem mais um tostão para a igreja! Cá na terra costumávamos ter duas procissões todos os anos, e agora os andores já não saem. Anda uma pessoa a dar dinheiro para quê?” “O novo padre opôs-se à festa do santinho que por aqui havia sempre. Como resultado, deixei de ir à missa.” “O padre queria obrigar-me a fazer catequese(…)

Ler mais

Receber a Mãe!

Escrito pela família Miranda Santos No dia de inauguração do Canto de Caná e da apresentação da imagem da Mãe de Caná ficámos logo com vontade de ter uma réplica da imagem cá em casa. Mas só quando a família Power fez a entronização da imagem em sua casa e o partilhou no site é que nós finalmente nos decidimos a fazer a encomenda. O prometido era a produção da imagem demorar algum tempo mas, para grande alegria nossa, poucos dias se passaram até recebermos a notícia de que a imagem já estava pronta. E se depressa ficou feita, ainda(…)

Ler mais

O Movimento, a paróquia, a missão…

“As Famílias de Caná são muito pouco estruturadas”, comenta-se de vez em quando. E também: “As Famílias de Caná não oferecem uma formação sólida, é tudo muito no ar.” Sei de párocos que evitam levar o Movimento para a sua paróquia porque não sabem “por onde lhe pegar”, e de famílias que deixaram de crescer à sombra do Movimento por não encontrarem nele a satisfação de todas as suas necessidades espirituais. Mas também sei de párocos que se sentiram seduzidos pelo Movimento por encontrarem nele famílias disponíveis para o trabalho paroquial, capazes de se inserir nas diversas propostas de formação(…)

Ler mais

O maior inimigo da Igreja

Na semana passada, as leituras da missa diária trouxeram-nos algumas belas conversas em redor do nosso Canto de Oração Familiar. Uma delas foi a propósito da célebre mãe de João e Tiago, os filhos de Zebedeu: Aproximou-se então de Jesus a mãe dos filhos de Zebedeu, com os seus filhos, e prostrou-se diante dele para lhe fazer um pedido. “Que queres?” Perguntou-lhe Ele. Ela respondeu: “Ordena que estes meus dois filhos se sentem um à tua direita e o outro à tua esquerda, no teu Reino.” (Mt 20, 20-21) O mais engraçado desta história é que ela acontece precisamente depois(…)

Ler mais