O presente das férias

Minha vida é um instante, um rápido segundo, Um dia só que passa e amanhã estará ausente; Só tenho, para amar-Te, ó meu Deus, neste mundo, O momento presente!… Como Te amo, Jesus! Por Ti minha alma anseia; Sejas meu doce apoio por um dia somente. Reina em meu coração: Teu sorriso incendeia Agora, no presente! Que me importa, Senhor, se no futuro há sombra?Rezar pelo amanhã? Minha alma não consente! Guarda meu coração puro! Cobre-me com tua sombra Agora, no presente! (…) Devo ver-te em breve na praia eterna, Ó Piloto Divino, cuja mão me conduz. Sobre as vagas(…)

Ler mais

Castelos na areia

Quando fiz uma experiência de missão com as Missionárias da Caridade em Lisboa, antes de casar, aprendi um cântico que julgo já ter partilhado. Cantámo-lo na missa do nosso casamento. Gostamos de o cantar em família na Oração Familiar. E eu gosto de meditar nele durante a minha oração pessoal. Um dos versos diz assim: The dream I have today, my Lord, is only a shadow of your dreams for me If I but follow you! (O sonho que hoje eu tenho, Senhor, é só uma sombra dos teus sonhos para mim se eu Te seguir!) Quando casámos, ficámos a(…)

Ler mais

A praia, os telemóveis e a contemplação

O dia 25 de abril abriu para a nossa família, “oficialmente”, a época balnear. Já foi uma “abertura” tardia para nós, mas as chuvas de março não o permitiram antes. Assim, de manhã preparámos um belo piquenique, e logo nos aventurámos até à praia da Barra. Começámos pela patinagem no paredão, lugar ideal para as brincadeiras sobre rodas. Que alegria! Os pescadores que por ali se entretinham a pescar viravam a cabeça, espantados com a alta velocidade com que oito crianças e jovens deslizavam. Houve até um ciclista que, ultrapassando-os, os informou: “Estão a patinar a 18 Km /h contra(…)

Ler mais

Uma manta, uma chávena de chá e o princípio da gratidão

Quando chegámos à Irlanda, uma irmã do Niall deixou-nos um saco com toalhas de praia e alguns brinquedos para brincar na areia. Tínhamos combinado assim para não virmos de Portugal carregados com estas coisas. Abri o saco e, com surpresa, vi que no meio das toalhas havia… uma manta. No dia seguinte, na praia, contemplámos o areal: não se via um único guarda-sol, e apenas duas ou três pessoas estavam vestidas com fatos-de-banho. As crianças envergavam fatos de mergulho, os adultos estavam vestidos e, quando queriam nadar, mudavam-se rapidamente com a ajuda de uma toalha e depois do banho faziam(…)

Ler mais

O poder curativo do Tempo de Família

Há momentos da vida em que sentimos que batemos no fundo. A semana passada, de grande intensidade na escola onde leciono, foi um desses momentos. Lá em casa, todos notam quando a minha vida profissional não corre bem: segundo o Niall, o meu olhar deixa de ter brilho e perco o sentido de humor – e se há coisas graves na vida de um casal feliz, é precisamente a perda do sentido de humor! Segundo os meninos, farto-me de ralhar sem razão. A Lúcia é o meu barómetro, porque ela não tolera um grito. “Pára de ralhar”, diz-me. “Mas eu(…)

Ler mais