Os sapatos

A Semana da Vida apanha-me sempre num turbilhão de emoções e pensamentos. É que o mês de maio, das flores, da mãe, da ressurreição, da primavera, da vida – o mês de maio, na minha casa, é o mês da morte. Porque foi no dia 16 de maio que o meu pai partiu para Casa, há 28 anos atrás. E foi no dia 19 de maio que o meu filho Tomás partiu também para Casa, há 13 anos atrás. Cada um dos meus filhos tem uma caixa de cartão desde o dia em que nasceu, para onde vou lançando, durante(…)

Ler mais

Domingo V de Páscoa, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga QUAL O INGREDIENTE? As leituras destes dias pascais lançam-nos nos tempos que hoje vivemos, entre o “já” da ressurreição e o “ainda não” da felicidade eterna, entre a omnipresença de Jesus na nossa vida e a sua aparente ausência de tantos momentos. “Quando Judas saiu do Cenáculo…” O Evangelho começa com esta triste introdução. O desenvolvimento natural, que esperaríamos de um qualquer outro evento dramático que se iniciasse com uma traição, seria algo como “Jesus entristeceu-se”, ou “o medo instalou-se”.(…)

Ler mais

Os Cânticos, Madalena e os cânticos

Não importa o quão preparados pensamos estar, a Páscoa apanha-nos sempre de surpresa. Os Apóstolos foram os primeiros a serem tomados por esta surpresa absoluta, divina, capaz de dividir a História em duas. Por isso, quando a Páscoa me apanha de surpresa, não devo estranhar… Num post recente, deixei-vos inquietos ao falar desta necessidade de ir desenterrar o Aleluia pascal tão fundo por vezes, debaixo de tantos escombros e tanta lama. Mas não é sempre assim! Desde o dia de Páscoa que o meu coração e a minha mente se têm centrado nos magníficos relatos da ressurreição de Jesus, e(…)

Ler mais

Jardim da Ressurreição

Durante a tarde de sábado, meditando nos acontecimentos da semana Santa, nós, família Batista, gostamos de construir em nossa casa o “Jardim da Ressurreição”. Esta actividade pode ser feita no jardim exterior da casa ou então para quem tem espaços pequenos pode ser feita com um tabuleiro de terra, vasos e plantas (ideia retirada daqui). Materiais: Madeira para fazer três cruzes, um vaso de barro para fazer o sepulcro, pedra grande para tapar a entrada do sepulcro, velas e flores para o grande dia de Páscoa. Como fazer: Na versão jardim exterior – escolher um local com espaço para colocar(…)

Ler mais

Eu sou do meu Amado

Neste tempo de esponsais, em que nós, Famílias de Caná, celebramos o dom do amor de Jesus, debruçado sobre a nossa miséria para nos elevar às alturas do Céu, Maria Madalena surge luminosa como alguém que soube amar, e amar até ao fim. A primeira leitura da sua Festa vem do belíssimo Livro do Cântico dos Cânticos, livro também proposto este mês às Famílias de Caná para sua meditação mensal. E diz assim: Eis o que diz a esposa: «No meu descanso, durante a noite, procurei aquele que o meu coração ama; procurei-o, mas não pude encontrá-lo. Levantar-me-ei e percorrerei(…)

Ler mais