A praia, os telemóveis e a contemplação

O dia 25 de abril abriu para a nossa família, “oficialmente”, a época balnear. Já foi uma “abertura” tardia para nós, mas as chuvas de março não o permitiram antes. Assim, de manhã preparámos um belo piquenique, e logo nos aventurámos até à praia da Barra. Começámos pela patinagem no paredão, lugar ideal para as brincadeiras sobre rodas. Que alegria! Os pescadores que por ali se entretinham a pescar viravam a cabeça, espantados com a alta velocidade com que oito crianças e jovens deslizavam. Houve até um ciclista que, ultrapassando-os, os informou: “Estão a patinar a 18 Km /h contra(…)

Ler mais

Retiro ou encontro de amigos?

Uma das coisas mais importantes num retiro é a fidelidade a um horário: quem está em retiro não tem “tempos mortos”, pois todos os momentos são peças de um único puzzle. Uma das coisas mais importantes num encontro de amigos é esquecer-se dos horários: os amigos precisam de saber que são escutados sem pressa nem relógio. Podemos então fazer de um dia de retiro um encontro de amigos, e de um encontro de amigos um dia de retiro? Sim, podemos. Não correremos o risco de ganhar um e perder o outro, ou vice-versa? Sim, corremos. Sobretudo se esse encontro de(…)

Ler mais

O comboio da educação

“Outro dia tive uma conversa interessante com os meus colegas na universidade”, dizia-me o Francisco, quando nos sentámos para almoçar os dois. A estudar para exames, o Francisco passa o dia em casa, e posso desfrutar da sua companhia à hora de almoço. “Então? Sobre o quê?” “Sobre as crianças de hoje. Todos reparámos já que os miúdos de hoje são muito menos inocentes e muito mais atrevidos do que no nosso tempo.” “Ena, vocês já falam em ‘nosso tempo’, com a vossa idade?” “Claro! Esqueces-te de que nascemos no milénio passado?” “É verdade, sim… 1998…” “Pois. Quando nós andávamos(…)

Ler mais

E estamos no Advento!

Sábado 2 de dezembro, véspera de Advento. Cá em casa, a alegria estava ao rubro:  o grande dia chegara! “Mamã, quando vamos ao musgo?” “Já preparaste a cortina para o Presépio? E a Árvore de Natal? Podemos ir desempacotar tudo?” Mas foi preciso esperar pela tarde para pormos mãos à obra. Que felicidade! Como costume, o pai e os mais novos vão apanhar o musgo aqui perto, com o carrinho de mão. Desta vez, contudo, o carrinho de mão não vem cheio: a seca que vivemos no nosso país não deixa o musgo crescer. O Presépio terá de ficar mais(…)

Ler mais

O tempo que Deus acrescenta

As Famílias de Caná são muito diferentes entre si. Temos famílias mais ricas e famílias mais pobres, famílias com mais ou menos estudos, famílias educadas na fé católica desde sempre e famílias convertidas recentemente, famílias com uma vivência mais carismática e famílias com uma vivência mais tradicional, famílias da cidade e famílias do campo, famílias com muitos filhos e famílias sem filhos. Mas… O que terão todas estas famílias em comum? Parece-me que o mais importante se diz numa palavra: tempo. As Famílias de Caná têm tempo para viver em família, e têm tempo para, em família, falar com Deus.(…)

Ler mais