“Caminhada pela Vida” afirma tolerância zero para “políticas fraturantes”

Milhares de pessoas saíram à rua, no passado dia 27 de outubro, para a edição deste ano da “Caminhada pela Vida”, nas cidades de Braga, Porto, Aveiro, Viseu e Lisboa, e deixaram uma mensagem de tolerância zero contra políticas que não defendam a vida e a em todas as suas etapas. Na capital portuguesa, a marcha seguiu desde o Largo de Camões, no Chiado, até às portas da Assembleia da República, e envolveu crianças e jovens, adultos e idosos, famílias, casais com filhos pequenos, que levantaram alto os seus cartazes e afirmaram um “sim” à vida e “não” a diplomas(…)

Ler mais

Novo Bispo de Viseu já foi enfermeiro

António Luciano dos Santos Costa tem 66 anos e foi nomeado esta quinta-feira pelo Papa Francisco novo bispo de Viseu. Para D. Ilídio Pinto Leandro, que pediu a resignação do cargo por razões de saúde, foi a escolha certa, tendo em conta que é alguém que a diocese já conhece. “Foi professor no Centro de Viseu da Universidade Católica e no Instituto Superior de Teologia, portanto os padres mais novos foram seus alunos. E é alguém que com uma formação multifacetada, foi enfermeiro, formou-se em Teologia Moral na mesma escola onde eu também estudei em Roma”, disse em declarações à(…)

Ler mais

Viseu: Bispo aponta que “o caminho é o do acolhimento total dos recasados”

A diocese de Viseu vai convidar os casais recasados a viver a alegria do amor, como membros da Igreja, formando equipas que vão acompanhar essas pessoas casadas em segundas ou terceiras núpcias. “A postura do bispo e da diocese de Viseu é sempre esta: os casais recasados são convidados a viver a alegria do amor, os casais casados em segundas ou terceiras núpcias são convidados a viver a sua opção como membros da Igreja”, explica o bispo D. Ilídio Leandro. “Na formação permanente que fizemos, decidimos que em cada arciprestado haja dois casais que, com um padre, vão à procura(…)

Ler mais

Alunos de EMRC de Viseu vivem «experiência» de um campo de refugiados

Mais de uma centena de alunos de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) viveram durante dois dias em Mangualde a experiência de um campo de refugiados, numa atividade em parceria com o Exército. Em entrevista à Agência Ecclesia, a professora Lúcia Lopes, uma das coordenadoras da atividade, destacou a importância de “dar aos alunos uma experiência que, de alguma forma, lhes mostrasse um bocadinho do que pode ser a vida de um refugiado, desprovido de família, de conforto, até das refeições normais”. “O que nós vemos na comunicação social é um bocadinho distante e as pessoas às vezes têm uma(…)

Ler mais