História

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

O Niall e a Teresa Power viveram os primeiros anos de casados em Aveiro e na Gafanha da Encarnação, participando na vida paroquial, crescendo na fé em família e construindo, pouco a pouco, filho a filho, os fundamentos da espiritualidade das Famílias de Caná.

No verão de 2007, passaram a residir em Mogofores, Anadia, junto ao Santuário Nossa Senhora Auxiliadora. O pároco, José Augusto Fernandes, salesiano, convidou-os a dar catequese e a orientar o coro infantojuvenil da paróquia. Visitando-os assiduamente, apercebeu-se da forma como a família rezava em conjunto e contava histórias da Bíblia, e desafiou a Teresa a partilhar com outras famílias esta sua experiência de fé familiar. Assim, a Teresa começou a dar testemunho em encontros para pais de crianças da catequese e a orientar retiros de preparação para os sacramentos, etc., enquanto o Niall se dedicou sobretudo aos jovens. Os fundamentos das Famílias de Caná foram surgindo quase sem que a família disso se apercebesse.

santuario - familia power 3

 

Um dia, finalmente, a Teresa e o Niall pediram ao seu pároco que os ajudasse a discernir aquilo que lhes parecia ser um chamamento de Deus: a fundação das Famílias de Caná, um movimento capaz de desafiar a família inteira, e não apenas o casal, à santidade. Entusiasmado, o padre José Fernandes mostrou-se imediatamente disponível para celebrar missa e confessar os participantes nos retiros que a família queria orientar.

A Teresa e o Niall queriam que o novo movimento fosse confiado a Maria, a Senhora Auxiliadora venerada no Santuário de Mogofores. Foi então preciso invocar o Espírito Santo e percorrer os Evangelhos em busca do episódio mariano mais adequado. Alguns dias depois, e enquanto rezavam por esta intenção, optaram pelo episódio das Bodas de Caná, que apresenta Maria como Auxiliadora de uma família nascente e impulsionadora da revelação de Jesus como o Filho de Deus.

No dia 14 de setembro de 2013, aconteceu o primeiro retiro Famílias de Caná. Teve lugar, curiosamente, numa quinta que costuma acolher festas de casamento. Eram quase todas famílias amigas da família Power. O entusiasmo dos participantes foi contagiante, e no retiro seguinte havia já mais famílias desafiadas a experimentar esta dinâmica de fé familiar.

retiro 14_9_13 1 retiro_14_9_13 6

Para que o seu testemunho de vida pudesse chegar mais longe, a Família Power iniciou o blogue Uma Família Católica, onde durante dois anos e meio contou assiduamente histórias e pequenos episódios da sua vida a partir da Palavra e sob o olhar de Deus. O blogue foi uma porta aberta ao mundo, atraindo muitas famílias, de vários pontos do país, aos retiros Famílias de Caná, e permitindo que muitos sacerdotes tomassem contacto com o movimento.

 

No dia 21 de janeiro de 2015, a Família Power foi recebida no Paço Episcopal. D. António Moiteiro, bispo de Aveiro, tomava assim conhecimento da existência das Famílias de Caná e comprometia-se a acompanhar o movimento nascente, com a sua oração, a sua palavra e o seu discernimento. Na quaresma seguinte, orientou o retiro quaresmal do movimento, para grande alegria de todos. Aí propôs que os diversos pontos de espiritualidade do movimento fossem repartidos por seis talhas, como as talhas que havia em Caná. Entusiasmada, a família Power acolheu a proposta e dedicou-se imediatamente à tarefa de estruturar as Seis Bilhas de Caná.

IMG_6099 IMG_6107

Entretanto, a Família Power foi sendo convidada a dar testemunho em vários pontos do país. Deste testemunho, têm nascido muitas Famílias de Caná e algumas Aldeias de Caná, que por sua vez são berços fecundos de novas Famílias de Caná, através do seu testemunho e do seu entusiasmo.

Rezamos para que o movimento cresça para lá de todas as fronteiras e toque todas as periferias da vida, segundo a Palavra de Jesus:

Ide, pois, às encruzilhadas dos caminhos e chamai para as bodas a quantos encontrardes. (Mt 22, 9)

Ámen!

DSC02301

Comments are closed