Em Caná da Galileia…



O meu próximo e os seus fardos

Uma das coisas mais bonitas do nosso Acampamento foi o cuidado que cada um teve com cada outro, e isto deste o primeiro instante: É preciso ajudar alguém a montar uma tenda – ou, especialmente, a desmontar, que segundo parece, é bem mais difícil? Há vários braços a querer ajudar. É preciso carregar um bebé, enquanto os pais se ocupam dos outros filhos? Não faltam ofertas! É preciso dar uma sopa, mudar uma fralda, acalmar um choro? Vamos a isso!  É preciso lavar as casas-de-banho, a churrasqueira, as mesas de piquenique? Todos ajudam. Uma família de cinco pessoas está demasiado(…)

Ler mais

E o Acampamento de Caná aconteceu!

Eu sei que tinha prometido o post para segunda-feira mas, no domingo, o Primeiro Acampamento de Caná não estava com pressa nenhuma em acabar, e já passava das seis da tarde quando chegámos a casa. E digo “primeiro” porque, no final, nas despedidas, a pergunta repetia-se: “Quando é o próximo?” Passei a segunda-feira a lavar, estender e passar roupa, no meio de enorme barafunda de tendas, sacos-cama, bicicletas e sapatilhas sujas, alguma rabugice de filhos (e pais) cansados e muitas horas de sono por recuperar. Enquanto me movimentava no meio de toda esta feliz confusão fui refletindo e imaginando o(…)

Ler mais

Contagem decrescente…

Quase, quase o dia do Acampamento de Caná! Pensamos ser onze ou doze Famílias de Caná, prontíssimas para dois dias e duas noites no “Tabor” de Mogofores, aqui junto ao Canto de Caná, bem pertinho da Mãe que nos abençoa e guarda. Ah, como vai ser bom! Para acampar, são precisas tendas. O pai já tratou de as arranjar, bem simples e baratas, com tamanho suficiente para todos os Power & Companhia Lda. Montámo-las no jardim, para ver como funcionavam e quantos cabiam lá dentro, e foi com dificuldade que convencemos os Power mais novos a esperar mais uns dias(…)

Ler mais

Missão jovem nas cinzas do Pedrógão #2

Escrito pelo Francisco Power (continuação do post anterior): O nosso principal trabalho foi, como referi no post anterior, nas hortas, nos pomares e na preparação de kits de sementes para distribuir. Mas fizemos outras coisas! Logo no primeiro dia, tivemos a “praxe” do voluntariado: como estava muito calor para começar a plantar fosse o que fosse, fomos para um ginásio enorme completamente cheio de caixotes de roupa para fazer triagem e separação. Neste momento já não é necessária mais roupa, e a que chega está a ser encaminhada para os PALOP. Se por um lado é bonito ver a generosidade(…)

Ler mais

Missão jovem nas cinzas do Pedrógão #1

O nosso Francisco acabou os exames do primeiro ano de Engenharia Mecânica numa quarta-feira, e na sexta-feira seguinte partiu em missão. Uma semana depois regressou, com muito, muito para contar. Tanto, que resolvemos dividir por dois posts! Aqui fica, pois, o seu testemunho: Escrito pelo Francisco Power: Desde as Jornadas Mundiais da Juventude 2016, o meu grupo fantástico de Jovens do Estoril e Lisboa e eu andámos a planear um campo de trabalho para fazer este verão. Com a infeliz catástrofe que começou em Pedrógão Grande há um mês, decidimos tornar esse campo de trabalho numa missão de voluntariado para(…)

Ler mais