Em Caná da Galileia…



Via Sacra

Nos domingos de quaresma, durante a tarde, fazemos a Via Sacra em família. Às vezes, vamos a uma igreja, outras, simplesmente, ajoelhamo-nos no chão da sala em volta de um enorme crucifixo de madeira, que os Jovens de Caná fizeram no primeiro retiro de todos. Acendemos algumas velas e espalhamos pelo chão os corações com as imagens de cada estação, feitos pelos meninos algumas quaresmas atrás. A cada meditação, corresponde um coração, que colocamos silenciosamente na cruz. No domingo passado, só a Sara não pôde ler uma meditação. Mas vontade não lhe faltou! Desta vez, servimo-nos de um livrinho com(…)

Ler mais

O maior inimigo da Igreja

Na semana passada, as leituras da missa diária trouxeram-nos algumas belas conversas em redor do nosso Canto de Oração Familiar. Uma delas foi a propósito da célebre mãe de João e Tiago, os filhos de Zebedeu: Aproximou-se então de Jesus a mãe dos filhos de Zebedeu, com os seus filhos, e prostrou-se diante dele para lhe fazer um pedido. “Que queres?” Perguntou-lhe Ele. Ela respondeu: “Ordena que estes meus dois filhos se sentem um à tua direita e o outro à tua esquerda, no teu Reino.” (Mt 20, 20-21) O mais engraçado desta história é que ela acontece precisamente depois(…)

Ler mais

A confissão dos pequeninos

No sábado, na nossa paróquia, foi dia de confissões para os meninos dos seis anos. Depois de algumas sessões de preparação e de ensaio, finalmente os mais pequeninos puderam experimentar a alegria do perdão que só Jesus pode dar. “Cada um de nós é uma ovelhinha de Jesus”, expliquei aos meninos. “Quando fazemos coisas más, coisas feias, como bater, mentir, gritar com a mãe, responder torto ao pai, chamar nomes feios e dizer palavrões, a ovelhinha fica suja. Ficamos todos cheios de lama!” “Ah! Chamar nomes feios é pecado?” Perguntava um. “Eu bati num amigo, mas ele estava a pedi-las!”(…)

Ler mais

À sombra do Santuário #4

Antes de deixar Mogofores, o nosso antigo pároco, o padre José Fernandes, pai espiritual das Famílias de Caná, tinha-nos prometido uma imagem da Mãe de Caná, em madeira. Discretamente, com a ajuda de uma costureira da paróquia, que confecionou a roupa, e de alguém de quem não revelou o nome, mas que serviu de modelo, o senhor padre construiu o molde para apresentar ao artista. Será a primeira imagem de Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná, e será em madeira. Aliás, serão duas imagens originais, pois uma será venerada na igreja paroquial de Mogofores, também ela à sombra do Santuário,(…)

Ler mais

Para melhor

A nova lei dos contratos de associação obrigou-nos a repensar toda a nossa logística familiar. Se até há pouco tínhamos tido, com vantagem, seis filhos na mesma escola, entre o ano e os dezassete, beneficiando do contrato de associação que equiparava o Colégio das Irmãs de S. José de Cluny à escola pública (com exceção do primeiro ciclo, que de qualquer forma era bastante acessível), agora tudo vai mudar. Sem orçamento para pagar a escola de todos, decidimos que, no próximo ano letivo, todos vão deixar o colégio. A decisão não tem sido fácil para nós, pais, e tem-nos roubado(…)

Ler mais