Em Caná da Galileia...


A insondável misericórdia do Senhor

Do Diário de Santa Faustina, nº 1605:

Pediu-me Jesus:

Escreve sobre a Minha Bondade o que te vier à mente.

Respondi:

Como, Senhor, e se eu escrever demais?

Respondeu-me o Senhor:

Minha filha, ainda que falasses ao mesmo tempo todas as línguas dos homens e dos anjos, mesmo assim não dirias demais, mas pelo contrário proclamarias apenas uma pequena parcela da Minha Bondade, da Minha insondável Misericórdia.

De que estamos à espera para nos atirarmos, definitivamente, nos braços de Jesus? Ainda temos medo?!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *