Em Caná da Galileia...


À sombra do Santuário #4

Antes de deixar Mogofores, o nosso antigo pároco, o padre José Fernandes, pai espiritual das Famílias de Caná, tinha-nos prometido uma imagem da Mãe de Caná, em madeira. Discretamente, com a ajuda de uma costureira da paróquia, que confecionou a roupa, e de alguém de quem não revelou o nome, mas que serviu de modelo, o senhor padre construiu o molde para apresentar ao artista.

Será a primeira imagem de Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná, e será em madeira. Aliás, serão duas imagens originais, pois uma será venerada na igreja paroquial de Mogofores, também ela à sombra do Santuário, e a outra, no Canto de Oração das Famílias de Caná, que está quase, quase a nascer na quinta do Santuário, a partir do sonho do nosso pároco, o senhor padre Taveira. Com esta imagem por modelo, se Deus assim quiser, serão fabricadas dezenas, depois centenas, depois milhares de cópias, para que as Famílias de Caná do mundo inteiro possam ter uma em sua casa, no seu Canto de Oração Familiar. Vivemos tempos de graça… Recebi ontem um telefonema do senhor padre José Fernandes. A primeira de milhares de imagens está pronta!

Entretanto, os salesianos querem começar as obras no Canto de Oração das Famílias de Caná, pois a imagem da Mãe precisa de um lugar digno onde seja venerada. O projeto está pronto: uma capela em madeira, exterior, com uma balaustrada, um estrado sobre estacas, amplo, aberto, para que as crianças pequeninas entrem e saiam à vontade. À volta, plantaremos uma vinha, a Vinha de Caná, pois então!

Inicialmente, pensou-se em construir a capelinha mesmo ao lado do Santuário. Mas entretanto, a congregação decidiu avançar com um projeto para transformar a quinta por detrás do Colégio, quinta que agora pouco uso tem, num espaço de oração, extensão do Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora. O Canto das Famílias de Caná nascerá ali. E ali nascerão também, entre outras coisas, uma Via Sacra imensa, de um lado ao outro da quinta, que todos poderemos percorrer em oração, caminhando por entre flores, árvores e erva; e um Poço de Jacob, à sombra das figueiras; e um anfiteatro para grandes multidões… Fico extasiada só de imaginar!

Embora os salesianos não estejam à espera da nossa contribuição para avançar com o projeto ou as imagens, pensámos que as Famílias de Caná que vivem a graça de pertencer à primeira geração do movimento teriam gosto em participar monetariamente, demonstrando assim a Nossa Senhora, também através da sua generosidade material, a gratidão que sentem dentro de si. Por outro lado, existem certamente, entre os leitores deste site e seus amigos, alguns com mais possibilidades económicas para participar nesta aventura… A congregação salesiana é muito generosa, mas pode fazer muito mais com a ajuda de todos! Que honra, olhar para a imagem original da Mãe de Caná, rezar no Canto de Oração das Famílias de Caná, e saber que tudo isto também nasceu a partir do fruto do nosso trabalho e do nosso sacrifício!

As duas imagens da Mãe de Caná ficaram cada uma em 1200 euros. O Canto de Caná vai ficar em cerca de 6000 euros. Nós já fizemos a nossa oferta generosa. Quem quiser contribuir escreva por favor para o mail oficial deste site, e nós responderemos indicando o número da nossa conta. Depois enviem-nos o comprovativo de transferência, para não haver qualquer confusão de dinheiros. O vosso dinheiro será de imediato encaminhado. Também poderão contribuir anonimamente na “caixinha das ofertas” que levaremos para o retiro em Fátima. Todo o dinheiro que sobrar, depois de pagarmos o aluguer do espaço, será para esta causa.

Lúcia numa das figueiras da quinta, verão de 2014

Tenho uma certeza íntima, mas profunda, de que este lugar de oração e a imagem da Mãe serão fonte de bênçãos, especialmente familiares, à semelhança do que aconteceu em Caná da Galileia. Já estou a imaginar as dezenas de famílias que aqui virão, atraídas pela Mãe, para passar um dia inteiro de retiro familiar, rezando no Santuário e no Canto de Oração das Famílias de Caná, percorrendo a Via Sacra, descansando à sombra do Poço de Jacob, colhendo uvas da Vinha de Caná, fazendo piqueniques nas mesinhas de madeira que vão chegar, e fazendo, claro, muitas brincadeiras entre pais e filhos no meio de tanta beleza natural. Quantas graças!

Depois da Páscoa, se Deus quiser, numa data a marcar e na presença do nosso bispo, teremos um grande dia de celebrações aqui, com a inauguração do Canto das Famílias de Caná, a bênção das imagens e – ouro sobre azul – os primeiros compromissos públicos das Famílias de Caná… Unamo-nos em oração por esta intenção!

dsc07778

2 Comments

  1. Pedro Oliveira

    Teresa já à algum tempo que acompanho o site, e alegro-me com os frutos que as Famílias de Caná vão dando e vão sendo fonte de bênçãos para tantos!
    De fato temos visto este ‘projecto’ a crescer e a ganhar forma, e que bom é ver que o Senhor continua a atuar.
    Rezo por todas as famílias, Pedro O.

  2. Que surpresa tão bonita tive logo pela manhã! Sempre disponível e atento o Sr. Padre José! Que saudades das nossas conversas. Um sacerdote, dom de Deus, que soube dizer o seu sim! Tal como vocês!
    Um espaço de encontro é mesmo muito importante, porque este, o sítio informático, é apenas um veículo de comunicação. E redutor das relações.
    Quando Deus enviou a Salvação fê-lo pelo contacto directo entre o Seu Filho e nós! Viver a Fé em família é… viver com a Palavra, com o olhar, com o sentir, para que a fé não seja morta…
    Insisto no testemunho vivido, porque dele tenho colhido inúmeros frutos. Obrigada por se partilharem connosco.
    Obrigada Senhor Padre pelo alento que deu! Pelo impulso para que aquela família partilhasse connosco um quotidiano com Deus no centro, alegre, feliz e nada bafiento!
    Que o Espírito Santo continue a soprar sobre vós… e nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *