Em Caná da Galileia...


A Via Sacra e a neve branca

Sábado, antes do Domingo de Ramos. É preciso prepararmo-nos rapidamente para a semana que vai começar, a Semana Maior, a Semana Santa! Não há tempo a perder. Já perdemos muito, certamente! Agora, cada minuto é importante.

Assim, depois do almoço, antes do Francisco sair para participar num evento de voluntariado com a sua magia, reunimo-nos no chão da sala, junto ao Canto de Oração. O António prepara as velas, o David vai buscar a cruz branca lá fora, o Francisco pega na guitarra e a Clarinha prepara o texto. A Sara já foi buscar os corações de cartolina ao cestinho quaresmal e já os está a espalhar no chão… Em cada um, o desenho de uma estação da Via Sacra.

De joelhos ou sentados, ali à volta da Cruz do Senhor, meditamos na Paixão de Jesus. À vez, um dos mais novos procura entre os corações de cartolina o correspondente à estação, e eu leio o texto da meditação. Entre cada estação, rezamos o “Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.” A Via Sacra faz-se em vinte minutos, mas vinte minutos que nos mergulham por inteiro no mistério da Paixão de Jesus. Terminamos em silêncio contemplativo. Como é grande, o amor que Jesus nos tem!

Depois, um telefonema: “Senhor padre, sabemos que vai haver uma noite de confissões na paróquia para todos, mas… Alguns cá de casa são tão pequeninos para ir assim ao serão confessar-se. Será que nos pode atender esta tarde, aí no Santuário?”

O senhor padre Taveira, que além de um grande sacerdote, é também um amigo muito fiel, tem outra sugestão:

“É mais fácil se eu for aí a vossa casa, não é? Se me arranjarem um espacinho, confesso-vos a todos.”

Que ótima ideia! Ao fim da tarde, no escritório, o senhor padre confessa Power após Power, sem pressa e com muito carinho. A Sara, do alto dos seus cinco anos e meio, pergunta-me: “Mãe, eu vou confessar que faço birra para comer a sopa e quando tu chamas para o banho eu digo sempre que não. Lembras-te de mais algum pecado que eu tenho?” Eu ajudo: “De vez em quando bates nos manos, não é? E talvez digas alguma mentira… Sim? Então vá, prepara-te bem, que está quase a tua vez!”

Saímos do escritório de sorriso na cara e olhar brilhante. Um de cada vez, ajoelhamos no Canto de Oração para agradecer a Jesus o dom do seu perdão e cumprir a penitência.

“Se pudéssemos ver a festa que hoje o céu faz, por nos termos confessado!” Digo eu aos meninos, à noite, na nossa oração familiar.

“Ah, pois é, há sempre festa no céu quando alguém se confessa, não é, mamã?”

“É, Lúcia. E o teu coração agora está tão branco como as montanhas cobertas de neve na Suíça, lembras-te?”

A Lúcia parece iluminar-se por dentro:

“Como a neve! Como a neve na Suíça! Eu nunca mais quero fazer nenhum pecado para ficar sempre, sempre assim!” Depois, já na cama, acrescenta: “Quando ouvi, na Via Sacra, tudo o que Jesus sofreu por nós… Coitado! Não vou pecar nunca mais!”

Dou-lhe um beijo de boas noites. Agora sim, estamos preparados… A Semana Maior pode começar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *