Em Caná da Galileia...


Brincar em modo de retiro

Os encontros Famílias de Caná são sempre, como bem diz o nome, em família. Alguns ensinamentos reúnem a família toda, outros são feitos separadamente para pequenos e para grandes. E há sempre crianças a passar!

Mas um retiro não é só feito de palavras, não! Também é feito de brincadeira, porque a brincar também louvamos o Senhor, e de que maneira! Brincar com os filhos é talvez o dever mais divertido dos pais. Dever? Sim, dever. Todos os pais têm a obrigação de brincar com os filhos de vez em quando! Um dever que rapidamente se transforma em prazer…

Assim, nos nossos encontros propomos uma nova forma de fazer retiro: nos intervalos dos ensinamentos, arrumamos as cadeiras, fazemos espaço no meio do salão e… lá vamos nós brincar!

Na Suíça foi assim: brincámos, partilhámos gargalhadas sem fim, vimos adultos a saltar como crianças e a disputar a sua vez de participar nos jogos, e por fim, quando regressámos aos ensinamentos, estávamos todos tranquilos e felizes. Que bênção, a brincadeira!

O Niall, na nossa família, é o homem dos jogos. A ele coube organizar este nosso Tempo de Família em modo de retiro. Começou pelo Concurso de Talentos, que o Niall descreveu aqui no site. É enternecedor ver filhos e pais, ou grupos de irmãos, a construir um avião de papel e a lançá-lo o mais longe possível, a colocar uma moeda a girar no chão, ou a ver quem salta mais alto.

No domingo, depois do ensinamento da manhã, fomos para o pátio onde tinha nevado durante o Terço. O Niall entregou a dois pais a corda grande de saltar que a Lúcia recebeu no seu aniversário e distribuiu por cada pessoa – pequena e grande – um Cartão Bíblico da nossa Arca do Tesouro, tão típica das Famílias de Caná.

“Todos sabemos como é importante conhecer a Palavra de Deus de cor e salteado”, disse o Niall, no meio de gargalhadas. “Hoje vamos treinar esta arte: decorar e… saltar!” À medida que cada um decorava o seu versículo, lançava-se confiante para o meio da roda e recitava o versículo, saltando à corda. Foi um dos momentos mais fantásticos do retiro. Naquela altura, todos fomos crianças! Alguém gravou em vídeo o jogo, que está partilhado na nossa página do Facebook aqui ao lado. Espreitem 🙂

Também as crianças e os adolescentes tiveram longos momentos de brincadeira, enquanto eu fazia os ensinamentos para os adultos. Muitos destes jogos já foram partilhados pelo Niall aqui no site, em Recursos – Jogos. São jogos muito bons para estes encontros! Ficam as imagens:

Durante parte do dia, os mais novos construíram uma ponte, ligando duas margens, dois grupos. A atividade da ponte vem descrita aqui no site, em Recursos. O trabalho foi longo e divertido, criativo e empolgante:

A ponte resultou. E foi um estrondoso sucesso!

Fazer pontes. Pontes entre pais e filhos, pontes entre famílias. Não é assim que termina o Antigo Testamento, lançando a ponte para o Novo? Ora leiam comigo o último versículo do último livro do AT:

Ele fará com que o coração dos pais se aproxime dos filhos, e o coração dos filhos se aproxime dos seus pais, para que Eu não tenha de vir castigar a terra. (Ml 3, 24)

Ámen!

2 Comments

  1. Muito interessantes as brincadeiras! Todas as famílias presentes eram portuguesas, ou teve de ser um retiro bilingue?

    • Este retiro era especialmente para a comunidade imigrante na Suíça. Percebemos que a comunidade imigrante vive um bocadinho à parte, tal como as outras comunidades imigrantes, cada uma com a sua hora de Eucaristia por causa da língua, etc. Talvez por serem grupos muito grandes de emigrantes de cada país, penso eu. De qualquer forma, uma das famílias organizadoras está perfeitamente integrada em ambas as comunidades, e temos a esperança de que possa levar as Famílias de Caná à comunidade suíça 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *