Em Caná da Galileia...


Dia dos Pastorinhos

Hoje, 20 de fevereiro, é dia dos Beatos Francisco e Jacinta Marto. Um dia para celebrar em família, como proposto no ensinamento deste mês, recordando às crianças que também elas são chamadas à santidade!

O chamamento à santidade é a vocação de todo o cristão. Ontem, na Eucaristia, escutámos este chamamento duas vezes. A primeira, no Livro do Levítico, quase como se de uma lei natural se tratasse:

Sede santos, como Eu, o Senhor, sou santo. (Lv 19, 2)

A segunda, no Evangelho:

Sede perfeitos, como o vosso Pai do céu é perfeito. (Mt 5, 48)

As Famílias de Caná querem ser santas. Não basta sermos “boas pessoas”; é urgente a santidade. E uma santidade luminosa, alegre, transbordante. É por isso que celebramos a vida dos santos, nossos irmãos na fé, que nos ajudam a encontrar o Caminho para Casa.

Nas Famílias de Caná, celebramos com atenção particular as festas dos santos que mais se aproximam da nossa realidade familiar: esposos santos – não me esqueci do prometido retiro sobre Zélia e Luís Martin! Deixem-me recuperar a voz… – jovens santos, crianças santas. A vida familiar é um belíssimo caminho de santidade, e há que procurar modelos de santidade para todos os membros da família!

Hoje, os pastorinhos. E que santidade a sua! Sem nunca deixarem de ser crianças, eles descobriram a radicalidade do Evangelho, perdendo a vida para a voltar a receber das mãos de Deus.

“Quereis oferecer-vos a Deus?”

A pergunta da Senhora mais brilhante do que o Sol transformou as suas vidas. Façamo-la hoje também aos nossos filhos: “Quereis oferecer-vos a Deus?”

Hoje, só hoje, imitemos os pastorinhos e desafiemos os nossos filhos a imitá-los também: prostrados, de cabeça no chão, rezemos em família as orações do anjo; de joelhos, rezemos alguma parte do Rosário; ao longo do dia, façamos pequenos sacrifícios “de tudo o que pudermos”, como pediram o Anjo de Portugal e Nossa Senhora; entremos na igreja mais próxima e passemos alguns momentos com “Jesus Escondido”; e façamos um esforço maior em obedecer aos pais, servir os irmãos e escolher para nós o último lugar…

É muito? Para eles, não era nada, comparado com o tesouro que tinham encontrado no Coração de Maria: o próprio Céu.

Não há nenhum vidente na História da Igreja que não tenha passado o resto dos seus dias, depois das aparições com que foi agraciado, a desejar o Céu…

 

One Comment

  1. Ainda bem que abri a página. Que dia tão especial. O que mais desejo é a santidade da minha família, é o meu propósito maior. Como agradeço a Deus e à nossa Mãe este caminho que ela nos está a ensinar, a santidade. Como a nossa Mãe é dócil. É belíssimo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.