Em Caná da Galileia...


Mãe de Caná, a Imaculada Conceição

“Que Nossa Senhora celebramos nós amanhã?” Perguntava-me um pequeno amigo na tarde do dia 7. Eu contive uma gargalhada: “Nossa Senhora é só uma! Tem é muitos nomes.” “É confuso entender isso”, continuou ele, pensativo. Expliquei-me melhor:

“Amanhã é o dia da Imaculada Conceição. Celebramos o grande dia em que uma criança foi concebida sem a cicatriz do pecado original no seio de sua mãe. E porque foi concebida imaculada, chamamos-Lhe às vezes, amanhã em especial, a Imaculada Conceição (concepção). Essa criança cresceu, tornou-se mãe. É Maria de Nazaré, a Mãe de Jesus. Porque nela o Verbo se fez carne, chamamos-Lhe também Virgem da Encarnação; e porque subiu ao céu em corpo e alma, Virgem da Assunção. Diante da Cruz, Ela suportou o peso dos nossos pecados, sofrendo com Jesus. Por isso Lhe chamamos a Virgem das Dores. Esta mesma menina sem pecado algum, apareceu um dia a três pastorinhos em Fátima, e por isso Lhe chamamos Nossa Senhora de Fátima. E aparecendo noutros lugares da Terra, chamamos-Lhe Nossa Senhora de Lurdes, do Guadalupe, Aparecida… E porque sempre vem em nosso Auxílio, gostamos de a tratar por Nossa Senhora Auxiliadora, especialmente aqui em Mogofores. Mas é sempre, sempre a mesma. Não existe outra como Ela!”

O meu pequeno amigo pareceu compreender. Então continuei: “Sabes, em Caná da Galileia, numa festa de casamento, a Mãe de Jesus revelou-Se como verdadeiramente Auxiliadora: atenta aos noivos, percebeu que o vinho acabara, e pediu a Jesus que fizesse o seu primeiro milagre. É por isso que vemos na Mãe de Caná a Auxiliadora dos cristãos. Amanhã será assim o seu dia: entronizaremos na igreja matriz uma imagem da Mãe de Caná, exatamente igual, em tamanho e cor, à que está no Canto de Caná. Esta imagem foi feita na mesma altura que a do Canto de Caná e só aguardava pelo final das obras da igreja matriz para ser entronizada. Está tudo pronto! Será um belo presente para Lhe oferecermos no dia da sua festa. Mas é sobretudo o presente que Ela nos oferece a nós…”

Maria é, na verdade, de uma riqueza tão grande na variedade de graças e dons que recebeu, que nenhuma invocação do mundo A poderá descrever na totalidade. Precisamos de A contemplar assim, em cada nome, em cada invocação, para meditarmos mais atentamente em cada uma das suas virtudes e em cada pormenor da sua missão.

Hoje, na nossa paróquia mariana, que tem por padroeira a Imaculada Conceição, entronizámos a Mãe de Caná na igreja matriz. E que linda festa fizemos! Ficam as fotos, para fazerem festa connosco!

2 Comments

  1. Helena Atalaia

    😍 Que alegria! 😘

  2. Sofia Pinto Oliveira

    “Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? 
    Vede o para que nasceu. 
    Nasceu para que d’Ela nascesse Deus.
    (…) Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo;
    perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança. 
    Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia;  os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. 
    Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora da Graça; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória. 
    E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus” – Padre António Vieira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *