Em Caná da Galileia...


Nossa Senhora Auxiliadora

Hoje, 24 de maio, é dia de Nossa Senhora Auxiliadora. Cá em casa, fazemos festa, com direito a bolo e, naturalmente, com Eucaristia.

O colégio salesiano que o David frequenta está hoje em Fátima, numa grande peregrinação que engloba todos os alunos, professores e auxiliares, a agradecer a Maria o dom desta escola, que lhe é consagrada a cada ano.

Eu cresci sempre com uma enorme devoção a Nossa Senhora, mas sem nunca a invocar como Maria Auxiliadora, devoção desconhecida em Castelo Branco, minha terra. Só depois de comprarmos casa em Mogofores e virmos para cá viver, há dez anos atrás, é que nos fomos habituando a invocar a Mãe com este belo nome, tão querido de Dom Bosco. O dia 24 de maio foi sendo cada vez mais importante para nós.

Mas no ano passado, um pequeno detalhe fez com que este dia e a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora se tornassem realmente especiais. A minha mãe tinha andado a remexer papéis antigos e encontrara, nas suas recordações, uma pagela velhinha da minha Primeira Comunhão. Com carinho, ofereceu-ma. Agradecida, guardei a pagela na carteira.

À noite, com mais sossego, peguei novamente nela e pus-me a ler o verso. “Deixa ver se traz a data da minha Primeira Comunhão”, pensei. De facto, sei de cor as datas das Primeiras Comunhões dos meus filhos, mas não sabia a minha…

E foi então que descobri: a minha Primeira Comunhão aconteceu num dia 24 de maio, dia de Nossa Senhora Auxiliadora! Coincidência? Acaso? Para Deus, nada disso existe, sei-o bem. Um presente de Maria, sim, e um sinal, mais um, de que o caminho que hoje seguimos há muito fazia parte dos planos do Senhor.

Imagino Maria, no dia feliz da minha Primeira Comunhão, a piscar o olho a Jesus: “Um dia, a Teresa irá invocar-me como Senhora Auxiliadora. Hoje, ela nem sonha que este dia é meu!”

Deus tem a vida de cada um de nós bem guardada na concha das suas mãos. E tem prazer em nos surpreender de vez em quando. Se estivermos atentos, veremos a quantidade de pequenos detalhes com que o Senhor nos presenteia a cada dia, e que talvez nos esqueçamos de agradecer. Mas só no Céu conheceremos a história toda… Então sim, serão gargalhadas atrás de gargalhadas!

Nossa Senhora Auxiliadora, Mãe de Caná, ensina-nos a fazer tudo o que Jesus nos disser!

5 Comments

  1. Bom dia Teresa.
    Enquanto eu continuo cheia de dúvidas … depois vem sinais … hoje é também o dia de aniversário da minha Primeira Comunhão… só com o seu texto me recordei.
    Um grande beijinho a todos

  2. Hoje também estamos em festa!
    O nosso primeiro retiro foi há exactamente 4 anos!
    Quantas coisas mudaram desde então!
    Beijinhos

  3. “Um presente de Maria, sim, e um sinal, mais um, de que o caminho que hoje seguimos há muito fazia parte dos planos do Senhor.” Concordo, nós para casar escolhemos o mês de Maria e um domingo o dia do Senhor, 24 só pode ter sido inspiração do Espírito Santo e que alegria quando soube, há 3 anos através do site que era um dia tão especial. Ontem no 20º aniversário, para podermos participar na Eucaristia fomos ás 8. 30, a outra paróquia do nosso pároco e ele autorizou que rezássemos com todas as pessoas presentes a Consagração, à noite na nossa, levei mais cópias da oração e no final do terço, também rezamos todos a consagração a Nossa Senhora Mãe de Caná. Que ela nos continue a ensinar a fazer tudo o que Jesus nos disser.

    • Parabéns, Carmo! Que “coincidência” bonita do Senhor!!! E que maravilha, saber que a Consagração foi rezada assim por todos no final do Terço! Um grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *