Em Caná da Galileia...


O Natal, a dor e o amor

Ainda ontem celebrámos o Natal, e hoje já falamos de morte, de sangue e de tragédia: dia 26 de dezembro é dia de S. Estevão, o primeiro mártir cristão, que morreu apedrejado pelos judeus. Apedrejado! Que horror! E celebramos esta “festa” logo no dia seguinte ao Natal? Preparem-se, porque vem aí pior: dentro de dois dias celebramos a “festa” dos Santos Inocentes, os bebés que Herodes mandou matar. Mas onde é que a Igreja tem a cabeça?!

A Igreja tem a Cabeça em Cristo, Senhor nosso, que nasceu para morrer crucificado por cada um de nós. Amor rima sempre com dor. Jesus não foi nenhum guru de auto-ajuda, não nos salvou pelos seus belos ensinamentos sobre o amor fraterno. O sermão da montanha e as parábolas não chegam para nos salvar. Nenhum pensamento, por mais energia positiva que tenhamos, nos pode salvar. Nada do que façamos, por mais bondosos que sejamos, nos pode salvar. O universo inteiro, por mais espiritualmente unidos a ele que estejamos, não nos pode salvar. Somos unicamente salvos pela cruz de Jesus:

Pois sabeis que não fostes resgatados de vossa conduta fútil, herdada de vossos pais, por meio de bens perecíveis como a prata e o ouro, mas pelo Sangue precioso de Cristo. (1Pe 1, 18-19)

Há 12 anos atrás, neste mesmo dia, acontecia o tsunami da Indonésia, com toda a tragédia que se lhe seguiu. Hoje, um pouco por todo o mundo, há crianças com fome, mal tratadas, abandonadas, refugiadas, em guerra. Hoje, um pouco por todo o mundo, há dor, há morte. E Natal é também isto: Deus encarnado em cada um dos mais pequeninos que sofrem na Terra.

É por isso nossa obrigação celebrar o Natal também com um bocadinho de dor. Chamamos-lhe sacrifício, chamamos-lhe renúncia. Um sorriso quando apetece ralhar, um chocolate a menos, uma oração de joelhos. Todos estes pequenos gestos são uma forma de nos associarmos à dor dos últimos do nosso planeta, aqueles a quem o Anjo do Senhor anunciou o nascimento de Jesus, porque dormem ao relento e vivem de noite.

A minha pequena contribuição para este cálice de Jesus vai ser amanhã, dia 27, e durante alguns dias mais, no IPO de Coimbra, onde me irá ser retirada a tiróide com o seu nódulo (benigno) de 4cm. Se se lembrarem, rezem uma Avé-Maria por mim!

A todos, a continuação de um Feliz Natal, onde todo o amor se deixe provar pela dor, e onde toda a dor se possa converter em amor!

Ámen.

5 Comments

  1. Avé- Maria…
    Um grande abraço!

  2. Teresa,
    Tem-nos e tem-se dado tanto através do blogue e agora do site, que uma Ave Maria é o mínimo que podemos rezar por si…
    Que corra tudo muito bem.

  3. Já rezei uma agora mas vou rezar mais. Um grande abraço Teresa.

  4. Estaremos juntos em oração!
    Um grande abraço!

    Sónia

  5. Yolanda Cunha

    Teresa tenho acompanhado este site é lido todas os seus posts que são de uma riqueza extraordinária.Catequeses autênticas que me ajudam a caminhar . As suas melhoras e que o Senhor vos abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *