Em Caná da Galileia...


O nosso retiro já aconteceu…

E que bom que foi!

O retiro apanhou-nos num turbilhão de atividades, compromissos de trabalho e de paróquia e festas de anos – há quatro Powers a fazer anos entre setembro e outubro, e as festas de aniversário acontecem ao ritmo de uma por semana durante quase um mês – e, por isso, soube ainda melhor parar!

Foi uma travagem a fundo, daquelas que fazem os travões chiar, mas a primeira grande descoberta que fizemos foi essa mesma: vale a pena travar assim, neste ritmo mensal que decidimos criar para as Famílias de Caná e todos os que quiserem caminhar connosco. É que depois de uma pausa tão restauradora, a estrada da nossa vida ganha nova beleza.

Encontrar velhos amigos foi magnífico. Os três pequeninos do Luís e da Estela, que conhecemos no Acampamento de Caná, vinham exultantes: “Voltámos! Voltámos!” Diziam, felizes. Mas logo acrescentavam, com uma ponta de desapontamento: “Não trouxemos a tenda…” Nem a tenda, nem a mãe, que ficou a repousar e a cuidar do novo maninho, ainda escondido na sua barriga!

Os meninos da Família Almeida queriam apresentar a nova irmã, a Teresinha, com apenas quinze dias de vida: “Não é bonita?” E a Família Santos também rejubilava com o pequeno Joaquim, já mais desperto. Os dois bebés, bem aconchegados ao colo das mães, mamando e dormindo, contrastavam com o Daniel que, do alto dos seus quase dez meses, só queria brincar.

A Sara, o António, a Lúcia e o David estavam desejosos de pôr a conversa em dia e brincar com os amigos. Não há nada que mais apreciem do que estes encontros! É que os amigos de Caná são diferentes dos amigos da escola: sabem rezar o Terço, conhecem a Bíblia e falam de temas interessantes, não apenas de “Fortnite” e outras coisas que os Power não conseguem entender…

O dia começou com a missa no santuário. Jesus no centro, como sempre! Logo depois, uma pequena pausa para café, bolinhos e um jogo divertido, para todos nos sentirmos em casa uns com os outros. Brincar é sempre uma alegria, especialmente quando pequenos e grandes parecem ter a mesma idade!

Pelas onze e meia, os crescidos subiram ao auditório do colégio, onde durante a manhã, meditámos no tema proposto: o Ano Litúrgico em Família. Os ensinamentos estarão brevemente disponíveis em vídeo no nosso canal oficial. Estejam atentos!

Entretanto, patins, bicicletas, trotinetas e bolas encheram o pátio num instante. Mas também houve trabalho, reflexão e catequese entre os pequenos, que o Niall não brinca em serviço! Nem o Niall, nem a Clarinha, que ficou especialmente atenta aos mais novinhos, de quem cuidou ao mesmo tempo que cuidava do Daniel.

Seguiu-se um piquenique fantástico na quinta, com um sol maravilhoso e muita conversa entre famílias. Tão bom!

Chegou a hora do Terço, no Canto de Caná, onde também cantámos e louvámos o Senhor.

E foi dali mesmo que partimos para uma divertida Caça ao Tesouro, orientada pelo Francisco: espalhados um pouco por toda a quinta e pátio do colégio, estavam envelopes com alguns versículos bíblicos, relacionados com alguma parte do ano litúrgico. Divididos em três equipas com os nomes de três evangelistas, lançámo-nos de pista em pista, percorrendo o ano litúrgico e os espaços da quinta, do “curral dos animais” ao jardim, do “lugar do fogo” à imagem de S. José, da “mesa do pão” ao Canto de Caná, da “porta estreita” ao “templo” onde Nossa Senhora Auxiliadora nos apresentou Jesus como a Luz das nações. “Agora, Senhor, posso descansar em paz”, dizia por fim o velho Simeão, e dissemos nós, depois de meia hora a correr de um lado para o outro atrás da Bíblia.

O tesouro estava ali mesmo à nossa espera, a Luz representada em grandes e bonitas velas, enfeitadas pela Clarinha, e que cada família levou para casa para iluminar a sua oração familiar.

Mas o tesouro a sério veio depois, durante aquela hora de adoração eucarística em que também nos pudemos confessar. Enquanto rezávamos, o Francisco e a Clarinha iam sublinhando o silêncio com os cânticos meditativos de Taizé – de novo a Palavra, de novo pequenos versículos, agora já não escondidos pela quinta, mas cantados e tocados à guitarra…

A tarde terminou com lanche e, tal como eu previra, com os pedidos insistentes e chorados dos mais novos: “Só mais um bocadinho…” Desta vez, os pais puderam confortar os filhos: para o mês que vem há mais!

É verdade, sim, para o mês que vem há mais! Até lá, espalhemos a Luz que o Senhor fez brilhar para nós no sábado…

E espreitemos alguns dos momentos em imagens:

 

 

 

 

7 Comments

  1. E que alegria poder participar neste retiro!
    Obrigado família Power e restantes Famílias de Caná pelo acolhimento maravilhoso.
    Foi um dia de Encontro com o Senhor, manifestado na Sua presença em cada um dos que connosco partilharam os muitos momentos de alegria, diversão e também de oração e contemplação, que tivemos oportunidade de ‘saborear’. Viemos de coração cheio!
    Obrigado por todos esses momentos.
    Certamente iremos voltar!
    Bem-hajam.

  2. Aiiii que quero tanto ouvir esses ensinamentos!!!!! 😀

  3. O que eu, desde sempre, gosto nestas “travagens a fundo” de um retiro de Caná é a forma como nos coloca diante da maior janela de nossa casa, bem limpa e transparente, com vista desafogada para a nossa vida real. Nada fica escondido!
    É bom parar, sim, principalmente para tirar a trave dos nossos olhos e olhar com mais honestidade para o nosso dia-a-dia, para as nossas relações, os nossos compromissos, para tudo aquilo que pode e deve ser mais santo na nossa vida.

    Obrigada Teresa e Niall por abdicarem do vosso sossego e descanso para nos servirem, por se “gastarem” com as famílias que tanto precisam de, a cada momento, fazer refresh nas janelas meio baças e mais baixinhas que teimam em escolher para olhar para dentro de casa.

    Diria, portanto, a quem nunca participou dos retiros que eles são assim como um belíssimo produto limpa-vidros! 😀E como nos disse Jesus no evangelho de sábado «Felizes os olhos que veem (…)”.

  4. Ah! E os Power também usufruem deste produto que age na transparência! Fartei-me de os ouvir comentar ao contemplarem os recém-nascidos Teresa e Joaquim: “ah, e eu que pensava que o Daniel ainda era tão pequenino… Ele afinal está enorme!”😉

  5. Impossível não comentar este post!
    Muito obrigada a todos pela simpatia com que nos receberam no nosso primeiro retiro!
    E as perguntas a que eu tive que responder no caminho para casa: mãe, esta pessoas já cá tinham estado antes? Sim, muitas vezes, até fazem campismo! E porque é que nós não viemos antes? Quando é que é o próximo, temos de voltar!
    Mãe, viste como aqueles meninos pequenos sabiam rezar o terço e eu nem sei rezar a Avé Maria toda, e também não sabia responder às perguntas que o Nial nos fez, trazes-me para aqui sem me ensinares nada! Então vamos passar a rezar em casa, respondo eu, sem ter bem a certeza de como iria correr a nossa oração familiar… mas a verdade é que temos rezado um ou dois mistérios por dia… E graças aos ensinamentos da Teresa, vou relacionando o que nos acontece no dia a dia com os Mistérios do Terço.
    Muito obrigada à Família Power pela disponibilidade e por darem um exemplo tão sólido de Fé!
    Se vamos voltar? Deus queira que sim!

  6. E que bom que foi!!! Travar a fundo, reacender a chama da fé, aprender mais, partilhar, receber tanto em tão pouco tempo! O retiro foi de facto bom (como sempre), mas regressar a casa com ideias novas, energia redobrada, vontade de fazer mais… Ah é ainda melhor!

  7. Um retiro em cada mês?? Que alegria tão grande!!!! Quando li e fui ver nos “Eventos” nem queria acreditar!!! Que Graça tão grande termo-vos como timoneiros!! Muito, muito obrigada Teresa!! Muito, muito obrigada Niall!! Muito obrigada a toda a família Power!! Quanta generosidade!… Nem tenho bem a certeza se o merecemos… Que Deus vos proteja e abençoe sempre!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *