Em Caná da Galileia...


Pecados contra o Coração Imaculado de Maria

Em Fátima, Nossa Senhora ensinou aos pastorinhos uma pequena oração, para rezarem sempre que fizessem algum sacrifício:

Ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.

Cá em casa, desde sempre que todos conhecem esta pequena oração, e todos a rezam no seu coração quando oferecem ao Senhor, ao longo do dia, um ou muitos sacrifícios. Mas… O que é isto de pecar contra o Imaculado Coração de Maria?

Todos os anos, eu leciono uma ou duas turmas consideradas problemáticas, com alunos carregados de problemas familiares. Já tive adolescentes vítimas de todo o tipo de abusos, já tive filhos de prostitutas, traficantes, alcoólatras, etc. Geralmente, estes meninos são capazes de se insultar a valer uns aos outros e, se nos distraímos, de se agredirem fisicamente até em sala de aula. É sempre um bocadinho aflita que eu entro em algumas destas salas… Mas há um insulto que nenhum tolera, invariavelmente, e que, invariavelmente também, leva à agressão: o insulto à mãe do colega. Mesmo quando se cresce sem valores, ou se perderam todas as referências, há um valor, uma referência que não muda: a nossa mãe. Boa ou má – e em alguns destes casos, claramente “má” – mãe é mãe, e ai de quem a insultar.

Se há insulto que Jesus não tolera, é o insulto à sua Mãe. Podemos pisotear tudo, mas ai daquele que pisotear a imagem da Mãe!

É para mim um mistério que a Mãe de Jesus seja motivo de divisão entre cristãos. E é minha convicção pessoal que a unidade querida por Jesus só acontecerá quando a Mãe for aceite por todas as confissões cristãs. Pois não é verdade que a missão de uma mãe é sempre, sempre a missão da unidade familiar? Só a mãe consegue reunir à mesma mesa os filhos e as famílias dos filhos com visões da vida às vezes abertamente opostas! Todos temos, certamente, experiência pessoal desta arte materna.

Na cruz, Jesus deixou-nos um último mandamento:

Então Jesus, vendo ali a sua Mãe e o discípulo a quem Ele amava, disse à Mãe: «Mulher, eis aí o teu filho.» Depois disse ao discípulo: «Eis a tua Mãe.» A partir dessa hora, o discípulo recebeu-A em sua casa. (Jo 19, 26-27)

Quem é este discípulo que Jesus ama? O Evangelho não nos dá o seu nome, embora todos saibamos que se trata de S. João. Mas se a Palavra de Deus é de inspiração divina, então deve haver uma razão de ordem sobrenatural para não termos indicação do nome deste discípulo. Eu estou profundamente convencida de que conheço essa razão: o discípulo que Jesus ama é cada um de nós. Ou não foi por cada um de nós que Jesus deu a vida? E se assim é, é a cada um de nós que Jesus confia a sua Mãe, e cada um de nós que Jesus confia à sua Mãe.

Segundo revelação à irmã Lúcia, os pecados contra o Coração Imaculado de Maria podem resumir-se a cinco, e daí a devoção dos Cinco Primeiros Sábados como principal forma de reparação:

1 – Negar a Imaculada Conceição de Maria

2 – Negar a sua perpétua virgindade

3 – Recusar Maria como nossa mãe

4- Infundir no coração das crianças o desprezo, a indiferença é, até, o ódio contra Maria

5 – Ultrajar as suas imagens

Talvez não nos pareçam pecados muito sérios, se os compararmos aos pecados contra a paz ou a justiça social. Nestes tempos em que os católicos parecem sentir-se no direito de acreditar no que quiserem e de ensinar assim aos outros, que mal há em negar alguns dogmas de fé? Negar a virgindade de Maria ou considerar que esta virgindade é apenas simbólica é prática corrente em vários círculos católicos, onde também não é comum tratar Maria por Mãe. Geralmente, nesses mesmos círculos falta a mais elevada virtude de Maria: a humildade. Há até uma vaga sensação de se estar ligeiramente acima do comum cristão, que ainda acredita em histórias… Como é grave a ofensa! Ofender a mãe é o caminho mais direto para ofender o Filho.

Reparando os pecados contra o Coração Imaculado de Maria, misteriosamente, nós reparamos muito mais… Porque se Jesus Se sente “ofendido” (para usarmos linguagem humana) com os pecados cometidos contra a Mãe, a Mãe sente-Se ainda mais “ofendida” com os pecados cometidos contra o Filho. Reparando uns, reparamos os outros. E misteriosamente, a nossa simples devoção, os nossos pequenos sacrifícios, o nosso amor à Mãe, alcançar-nos-á, como em 1918 através dos santos pastorinhos, bocadinho a bocadinho, a paz mundial.

 

 

 

2 Comments

  1. Catarina Silva

    Tanta verdade dita neste post! Tantos católicos a negarem dogmas de Fé e a sentirem-se no direito de ridicularizar os Cristãos que “ainda acreditam em histórias” …… que tristeza esta miséria humana!

  2. Muito obrigada, um enorme obrigada por este post!
    Que Deus te continue a inspirar para escreveres várias verdades de forma direta que tanto nos ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *