Em Caná da Galileia...


Por seres cristã

“Obrigado, Jesus, porque vimos duas cabrinhas, um burrito, um cavalo branco e três galinhas…”

“Duas! Eram duas galinhas! Obrigado, Jesus, pelo cavalo.”

“E pela casa abandonada. Obrigado, Jesus, porque explorámos uma casa abandonada, e estava tão velha, tão velha, que tinha os vidros partidos.”

“Sim, foi bué de fixe! E jogámos à bola no campo em frente do cavalo branco. E no largo da igreja.”

“E a bola foi para dentro do quintal da casa abandonada e tivemos de saltar o muro para lá entrar.”

“E eu fiz uma amiga nova. Chama-se Catarina. Brincámos as duas e queremos brincar outra vez!”

“Meninos, não falem na vez uns dos outros, por favor. Temos de acabar esta oração ainda hoje! Mais alguém quer agradecer alguma coisa?”

“Eu quero!”

A Lúcia ainda não estava satisfeita. Tinha sido uma tarde fantástica, a brincar no terreno ao lado da igreja de Cadima, onde tínhamos ido testemunhar (têm espreitado os Eventos?). Enquanto o Niall, eu, o Francisco e a Clarinha falávamos, os mais pequenos tinham tido autorização para brincar, e pelos vistos, a brincadeira fora animada.

“Diz lá então, Lúcia!” Eu estava a ficar cansada e com vontade de terminar a oração e deitar os mais pequenos, mas não queria interromper tantos “obrigados”.

“Este obrigado é para ti. Obrigada, mamã, por seres cristã! Porque se não fosses, não tínhamos ido a Cadima brincar esta tarde, nem a nenhum dos outros lugares onde vamos…”

Tempo de Família, Tempo de Deus. É esta a grande mensagem e o grande testemunho das Famílias de Caná. E eis a boa notícia: sempre que damos a Deus o tempo que Lhe pertence, Ele retribui-nos, não em dinheiro, não em saúde, não em sucesso, mas em Tempo de Família. Abundante, alegre, divertido. A cem por um…

3 Comments

  1. Helena Barros Le Blanc

    Não há como uma Criança a agradecer: ela ensina-nos! Foi assim que cá em casa aprendemos a agradecer. Aprendemos com o Xavier, e depois é só continuar. Como é fácil uma coisa que me pareceu no início difícil!

  2. Obrigada a ti, Lúcia, por me comoveres.
    Beijinhos

  3. MARIA DE LURDES SIMÕES MANUEL

    Boa tarde, tb fiz parte dos avós em FATIMA na casa Paulistas, nunca mais me esqueci, foi para mim talvez o melhor encontro .Quando vierem para Lisboa gostava de saber, para voltar a estar convosco, grande exemplo de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *