Em Caná da Galileia...


Santa Teresinha, Fátima e novo ensinamento mensal

Hoje é dia da minha santa padroeira, Teresinha do Menino Jesus. Conheci Teresinha tinha eu dez anos, através do livro do Padre Januário dos Santos, “Amor sem Fronteiras”. Penso que foi a primeira história de santos que li, e o entusiasmo foi tal, que nunca mais parei. Anos mais tarde, descobri a autobiografia de Teresinha, “História de Uma Alma”. Partilhei a leitura desta sublime obra com o Niall, durante o nosso namoro, e no dia do nosso casamento, oferecemo-la simbolicamente no momento da apresentação dos dons.

Teresinha e eu somos amigas há mais de trinta anos, e quase todos os dias trocamos um olhar. Já depois de casada, aprendi a invocar também os seus santos pais durante as minhas tribulações. A Família Power e a Família Martin são, portanto, boas amigas!

cam00345

Hoje é o primeiro sábado, e por isso, dia do ensinamento mensal, que já está disponível aqui no site (na barra lateral esquerda). Neste mês de outubro, e em plenas comemorações do centenário das aparições de Fátima, vamos refletir sobre a mensagem de Nossa Senhora no Evangelho, prolongada em Fátima. Foi num dia 13 de maio, muito antes do ano de 1917,  que esta mesma Senhora sorriu a Teresinha, curando-a milagrosamente da sua doença…

nossa-senhora-de-fatima-1

Que o mês de outubro faça crescer em nós o amor à Mãe e a obediência total ao seu pedido de sempre:

Fazei tudo o que Ele vos disser. (Jo 2, 5)

Ámen!

4 Comments

  1. Pilar Pereira

    “História de uma Alma” é um livro que frequentemente penso reler, mas não o tenho feito. Será desta?

  2. Há alguns anos as relíquias de Santa Teresinha visitaram-nos e lá fomos, nós e os meninos prestar a nossa homenagem e , quando chegamos a casa… era Janeiro… a primeira rosa, das nossas roseiras de Santa Teresinha, plantadas há mais de um ano e que nunca tinham florido, lá estava em botão…
    À noite, com o botão na mão lá fui, rezar e não homenagear… nesse dia tornei-me muito mais católica, não mais cristã, mas mais católica e comecei o caminho para compreender o papel que a santidade dos outros, vivos ou mortos, tem na vida dos irmãos, na minha vida…
    No meu canto de oração, o meu oratório, lá está emoldurada a rosa, seca, numa base bordada… a ilustrar o imensurável Amor de Deus, que se traduz na simplicidade de uma pequena flor de inverno!

  3. Eu tornei-me devota desta santinha há um ano. Já ouviram falar da novena das rosas?? Alguém fez e que tenha recebido a rosa?? Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *