Em Caná da Galileia...


Viva o ano novo!

O ano litúrgico chegou ao fim, um novo ano começou. O fim-de-semana foi, assim, de festa, a festa tranquila que gostamos de fazer em família. E que bem que soube!

Na manhã de sábado, a Clarinha conseguiu acabar a cortina para o Canto de Oração Familiar. Tarefa difícil, dados os muitos testes que tem tido! Nos últimos dias, era assim que ela rezava o terço connosco:

Quantas costureiras conhecem que se consigam sentar assim? A ginástica serve para alguma coisa 🙂

Finalmente, na tarde de sábado, eis o grande momento! Ao som de cânticos de Natal, abrimos a velha caixa de enfeites, montámos a árvore e pendurámos a cortina. O Daniel ajudava, divertido, desfrutando de cada momento do seu primeiro advento completo. Ah, o seu ar de felicidade, quando, por fim, as luzes da árvore iluminaram a noite!

Sempre muito expedita, a Sara tratou imediatamente de colocar os símbolos da Árvore de Jessé e o livrinho junto ao pinheiro. “É hoje que começas a contar, mãe?” Perguntou. Decidimos que sim, e que a cada domingo do Advento, contaremos duas histórias, pois este Advento terá apenas 24 dias e os símbolos são 28. Já têm o vosso livrinho à mão?

Depois, os meninos abriram uma caixinha cheia de estrelas brilhantes de papel “goma eva”. Conseguimos recuperar todas as estrelinhas que recortámos no ano passado, o que é um enorme avanço este ano! Se a estas, juntarmos as que a Sara recortou no retiro, já temos um exército celeste pronto para iluminar o céu. Venham daí essas boas obras, pensei. Mas eles já estavam preparados:

“Mãe, se hoje eu não amuar nem gritar com o António, já posso colar uma estrela na cortina?”

“E se eu tomar conta do Daniel vinte minutos seguidos para tu estenderes a roupa, já posso lançar uma estrelinha ao céu?”

“Arrumar o meu quarto conta?”

Ah, como eu gosto do Advento 🙂

A casa encheu-se de cânticos e exclamações de alegria, o Daniel não cabia em si de excitação, a Clarinha murmurava, extasiada: “Mesmo crescida, adoro preparar o Canto de Oração do Advento!” A Lúcia encostava-se à árvore de Natal e exclamava: “No ano passado, a árvore era tão alta, este ano é tão pequenina! Acho que cresci…” E até o Francisco interrompia o seu estudo, no escritório, para espreitar o que ia acontecendo na sala.

Com filhos crescidos, deixei de ser tão necessária durante toda esta azáfama, e pude continuar nas minhas tarefas habituais de sábado (poupo-vos a descrição), de um lado para o outro entre a casa e a máquina da roupa, na garagem. As gargalhadas, as canções e as exclamações que me chegavam da sala encheram-me de uma paz e de uma alegria difíceis de explicar. O mistério da Encarnação é mesmo isto, pensei… Deus aqui, Deus connosco, Deus entre nós, e é preciso fazer festa…

À noite, por fim, o Francisco à guitarra, cantámos cânticos de Advento, um após outro. Vou pedir ao João Miranda Santos para colocar a nossa playlist de Advento aqui em destaque na barra lateral deste site, para que possam cantar connosco!

Depois, contámos a primeira história da Árvore de Jessé, e como todos os anos, a Sara teve a honra de procurar o primeiro símbolo entre os muitos cartões que espalhámos pelo chão, e de o pendurar na Árvore. Ficou lindo!

De seguida, fizemos o sorteio dos Anjos de Natal desta semana. Ainda a oração não tinha acabado, e já alguns tinham encontrado forma de ser anjo para o irmão que lhe calhou na sorte servir. Pelo menos, assim me pareceu, ao ver a solicitude da Sara a estender um terço ao David… (shiu! Ele não pode desconfiar! Conhecem o jogo?)

“Posso colocar a minha estrela?” A Sara tem a tesoura e a fita-cola prontas. Será, naturalmente, a primeira! “Maranatha!” Diz, enquanto cola a sua estrela. É a palavra-chave deste mistério do Advento, e gostamos de a repetir a cada gesto de generosidade, pois são estes pequenos gestos que apressam a vinda de Jesus.

Como a Sara, assim fazem também o António, a Lúcia e o David. A Clarinha e o Francisco já não colocam estrelas, a não ser – porque não? – que um dia lhes apeteça muito. Quanto ao Daniel, ainda terá de esperar um pouquinho para começar a lançar estrelas! Tão giro, ter filhos a sair da “idade das estrelas” e filhos a entrar… Em silêncio, vou agradecendo e guardando tudo no coração…

Depois rezou-se o Terço, falou-se do Natal.

Falta o presépio, claro. Fica para o próximo sábado, véspera da Imaculada Conceição. Vamos, pouco a pouco, preparando o grande dia do Senhor!

E falta a frase que irá alimentar a nossa meditação diária, e que iremos escrever no cimo da cortina. Só a escreveremos quando lermos o ensinamento mensal deste mês, porque será este ensinamento a iluminar o nosso Advento e Natal. É preciso esperar mais uns dias então!

E aí em casa? Tudo a postos?

Feliz ano novo para todos, e um Santo Advento! Vem, Senhor Jesus! Maranatha!

 

 

5 Comments

  1. A nossa coroa de Advento já está no Presépio! E casa fora, não há espaço comum que não lembre o Menino que vem! Ser cristão também é poder festejar e é tempo de iluminar o coração!

    Um Santo Natal!

  2. Olá Teresa! Desculpem a minha ignorância… 🙁 o que quer dizer “Maranatha”?

  3. Que grande bênção! A vossa família, mas também este mistério do Natal que se vai fazendo anunciar.
    Cá por casa também já iniciámos a decoração do nosso canto, um pouco mais modesto, mas com a coroa do advento, a árvore de natal (e a de jessé também).
    Que a graça do deus-menino encha as nossas casas da paz e do amor que Deus tem por nós.
    Por cá também vamos preparando os nossos corações, dia após dia, para acolher a vinda de Jesus, mas ainda temos um longo caminho a percorrer. Pouco a pouco vamos caminhando!
    Bem-hajam Teresa, Niall e todos os membros da família Power pelos ensinamentos e exemplos de santidade.

  4. Paula Cristina Fernandes de Almeida

    A nossa casa também se vai “vestindo”a rigor para festejar a data. Só me entristece é ver como estragaram a data com todo o consumismo e todo o “circo” que montam e dizerem que isso é que é o Natal….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *