A escola, a TV e a meia-hora mais importante

Ontem fiquei indignada ao ponto de me sentir fisicamente incomodada, depois de visualizar os três minutos de desenho animado “As Destemidas”, que a RTP2 transmitiu no horário de programação infantil ZigZag e que anda a circular nas redes sociais católicas como forma de alerta e denúncia. Em três minutos, o aborto, a homossexualidade e o divórcio são tratados, explicita e subliminarmente, como grandes conquistas civilizacionais (não deixo, propositadamente, o link, mas convido os adultos que me leem, e só os adultos, a pesquisar). Ainda me refazia do susto quando, ao abrir o livro de português da Sara para marcar as(…)

Ler mais

Domingo VI do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga LIVRES PARA ESCOLHER Hoje a Palavra fala-nos da Lei de Deus e de como é “ditoso o que anda na Lei do Senhor”. A Lei de Deus é-nos oferecida em total liberdade: “Se quiseres, guardarás os mandamentos. Ser-lhe fiel depende da tua vontade.” Seremos todos livres para escolher entre o bem e o mal? Como podem aprender a escolher o bem, aqueles que nascem no meio do mal? Deus assegura-nos que todos podemos fazer esta escolha. Em algum momento da(…)

Ler mais

O divórcio: norma ou exceção?

Num destes dias, a procurar notícias do mundo no meu telemóvel enquanto esperava por um filho no carro, deparei-me com um artigo confuso. Era um artigo sobre o recente divórcio de duas figuras conhecidas no nosso país, embora eu não faça ideia de quem são. O que me chamou a atenção foi a forma como o divórcio vinha anunciado. O texto abundava em expressões como “este (o divórcio) é um caminho que construímos juntos”, “ficará para sempre a família que formámos”, bem como em imagens de rostos felizes e divertidos. Li uma segunda vez, não fosse eu não estar a(…)

Ler mais

O Evangelho da Família e a Apostasia coletiva

Durante o Encontro Mundial de Famílias, senti-me muito emocionada com as imagens de famílias felizes, famílias alicerçadas no sacramento do matrimónio e abertas à vida, de acordo com a doutrina católica. No Festival de Famílias, o Papa foi presenteado com cinco testemunhos, presenciais e em vídeo, de cinco famílias dos cinco continentes. Testemunhos de uma simplicidade e uma bondade espantosas. Tão bonito! Nessa mesma tarde, o Papa já tinha dialogado com dezenas de casais católicos, na Catedral de Santa Maria, onde reafirmara a beleza do sacramento do matrimónio e respondera às perguntas de um casal de noivos, um casal recém-casado(…)

Ler mais

Namoro, matrimónio, divórcio e muita confusão

“Mãe, não imaginas a conversa surreal que tive hoje com uma colega minha”, disse-me a Clarinha, de dezasseis anos, à hora de almoço. Alguns dias na semana, ela vem a casa almoçar comigo. “E esta colega é menina de catequese e missa, como eu! E ainda por cima é uma querida. Gosto muito de conversar com ela, mas…” “Então, conta lá.” “Perguntei-lhe, sabes, por perguntar, se ela se queria um dia casar. Eu gosto de pensar na minha vocação, imaginar qual será, sabes… Ela respondeu: «Casar? Nem pensar! Que disparate! Nunca!» Eu fiquei admirada com a reação e perguntei-lhe porquê.(…)

Ler mais