Entre irmãos

Tanto no quarto dos rapazes, como das raparigas, as portadas das janelas ficam abertas durante a noite. Os meninos habituaram-se a adormecer com a luz das estrelas e com o luar a entrar pela janela, e gostam de acordar com os raios de sol da manhã. Nestas noites primaveris, antes de adormecer, os mais novos gostam de contemplar os pirilampos no jardim, luzeiros minúsculos a saltitar entre as ervas e a transformar os arbustos em autênticas árvores de natal. Há anos que não havia tantos pirilampos nas nossas noites! É, na verdade, um espetáculo magnífico. Mas não são só os(…)

Ler mais

A jangada

As nossas férias familiares, este ano, levaram-nos até à beirinha de um rio, a um lugar longe de tudo e de todos. Ansiávamos por esta quietude há muito tempo, e a semana passou a voar! De todas as maravilhas que contemplei, escutei, saboreei, toquei, a mais bela foi a comunhão que experimentamos entre nós. É de facto consolador ver os irmãos a brincar uns com os outros, a mergulhar juntos, a jogar à bola juntos, a disputar jogos de tabuleiro juntos, a rir à gargalhada juntos. A Sara quer uma história? O António dispõe-se de imediato a ir buscar um(…)

Ler mais

Domingo XV do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga A PALAVRA ESTÁ PERTO DE TI As leituras de hoje são um belíssimo resumo de toda a História da Salvação – a salvação de cada um de nós, e a salvação de cada irmão, que Deus quer realizar através de cada um de nós. “Escutarás a voz do Senhor teu Deus”, diz-nos Moisés. Somos tentados a reagir: para ti, Moisés, era tão fácil! Tu falavas com o Senhor “face a face”, e o teu rosto inteiro se iluminava na sua(…)

Ler mais

“Se eu perder, ficas triste ao meu lado?”

Testemunho da Isabel Marantes: Há algum tempo, aqui no Canadá, houve um concurso literário, ao qual a Leonor e a sua amiga Maddy decidiram concorrer. Há poucos dias, a Leonor recebeu uma carta a dizer que o seu texto tinha sido um dos escolhidos. Cheia de alegria, a Leonor foi no dia seguinte perguntar à sua amiga se também já tinha recebido a carta, para juntas comemorarem. Mas a amiga ainda não tinha recebido a carta… Como elas sabem que as cartas das crianças vencedoras são enviadas todas ao mesmo tempo e elas vivem perto uma da outra, a Maddy(…)

Ler mais

As nossas cavernas

Era uma caverna, eram treze jovens. Mas durante quinze dias, era o mundo inteiro, eram todos os nossos filhos. Na Rússia, o Mundial, com as suas equipas profissionais e bem treinadas, apelava a nacionalismos, entre lágrimas e risos. Na Tailândia, uma outra equipa de futebol, pobre e desconhecida, apelava à nossa solidariedade, entre lágrimas e, por fim, muitos risos sentidos. Foram quinze dias que nos fizeram sofrer. Acordar de manhã e os meninos a perguntar: “Já saiu alguém da gruta?” Chegar à praia, dar um mergulho e os meninos a perguntar: “E agora, mamã, vê na net se já saiu(…)

Ler mais