A mesma dignidade

Testemunho da Isabel Marantes: Dia 13 de Maio… acordo cheia de alegria e penso: “Dia de Nossa Senhora de Fátima e dia de contar aos meninos a grande surpresa!” A Leonor já há mais de dois anos que rezava à Irmã Lúcia para que tivéssemos mais um bebé cá em casa (ela pedia especificamente uma irmã!). Tinha feito há cerca de um mês um gorro de bebé e tinha-o colocado bem perto da Irmã Lúcia, como que pedindo concretamente para que este gorro pudesse ser usado pela sua irmã no próximo Inverno… Finalmente, eu estava grávida! No dia 13 à(…)

Ler mais

Bebés reais

A hora da última mamada do Daniel tem-me permitido ver alguma televisão antes de me deitar, algo que há anos (desde que a Sara mamava também) não fazia. Gosto muito daqueles minutos ali, enroscada no sofá com o meu bebé, o Niall ao lado, a televisão ligada, conversando sobre o que se passa no mundo. Sei que, em breve, estes momentos passarão, pois o Daniel irá crescer e eu retomarei o meu trabalho ao computador aos serões. Mas por enquanto, vou aproveitando… E foi assim que pude acompanhar a explosão de alegria pelo nascimento do mais recente “bebé real”, na(…)

Ler mais

As bilhas de barro, as tochas de Gedeão e a atenção ao irmão

Tenho as mais belas recordações de todos os oito partos que vivi. Recordo a angústia inicial, o medo, a dor até ao limite suportável em alguns deles, quase inexistente noutros; recordo como foi difícil puxar nalguns partos, e como foi rápido e fácil noutros, incluindo o do Daniel. Mas recordo, acima de tudo e em todos eles, o momento sagrado e sublime em que o bebé deslizou para fora do meu corpo e me foi colocado junto ao meu coração. De todas as vezes, acolhi este primeiro abraço numa mistura de lágrimas e gargalhadas, enquanto me deliciava com o calor(…)

Ler mais

A graça de cada dia

Devo estar, de facto, muitíssimo grávida: Entro na sala de espera da maternidade para a consulta das 37 semanas, e três grávidas (!) levantam-se ao mesmo tempo para me dar lugar… Tento passar pela porta da cozinha com o alguidar cheio de roupa acabada de apanhar da corda, e ficamos os dois – o alguidar e eu – presos na passagem. “Estou farta de ser tão gorda!” Grito, e desato a chorar, que as hormonas nesta fase do campeonato não estão pelos ajustes. Em vez da esperada reação de compaixão da minha família, ouço um coro de estridentes gargalhadas… Uma(…)

Ler mais

Abram alas!

Quando, ao serão, nos sentamos todos na sala para a Oração Familiar, passamos por algumas pequenas discussões sobre o espaço que cada um ocupa: “Chega para aí, o sofá não é todo teu!” “Não dês pontapés, vais aleijar-me!” “Não vês que eu estava nessa cadeira e só me levantei para ir buscar um copo de água? Sai!” A situação complica-se quando o meu cansaço, que àquela hora já é muito, exige que o sofá mais pequeno seja todo para mim, a fim de me poder deitar nele enquanto rezamos. Outro dia, ao escutar estes comentários pouco simpáticos entre filhos em(…)

Ler mais