Domingo XXXII do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga EM DEUS, NADA FICA POR COMPLETAR O ano litúrgico está a acabar. É hora de meditar nas verdades últimas da nossa fé, os “novíssimos”: o que há para além do tempo, do espaço, da morte? Embora a história dos Macabeus aconteça cento e muitos anos a. C., ela parece escrita para a nossa geração. Como os judeus de então, também hoje vivemos tempos de perseguição.  Como a cultura helénica se impunha à judaica, seduzindo o povo e levando-o à apostasia,(…)

Ler mais

Domingo XXXI do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga OUVI DIZER QUE IAS PASSAR… “Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade.” Hoje, Jesus entra na nossa terra e começa a atravessar a cidade… Ele vem aí! O que nos impede de correr até Ele? Ouvi dizer que vai estar na igreja matriz, que vai pregar e, depois, multiplicar o Pão, converter corações, transformar vidas, como sempre fez na Galileia, Judeia e Samaria, como sempre fez ao longo dos séculos e continuará a fazer até(…)

Ler mais

Domingo XXIX do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga QUAL O SEGREDO? Num destes dias, recebi um sms com um pedido de oração: “O meu primo está à espera de um transplante pulmonar urgente. Está à espera de que alguém saudável morra para ele viver. O que se pode pedir nesta hora, que morra alguém jovem e saudável, para outro viver? É desesperante. Já nem rezar sei…” Lembrei-me deste sms ao ler a leitura do Livro do Êxodo deste domingo. Trata-se de mais um episódio nas lutas sangrentas entre(…)

Ler mais

Domingo XXVIII do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga JÁ TEREI DADO CONTA DA MINHA LEPRA? Naamã era um general sírio que tinha tudo para ser feliz, exceto saúde. Leproso, procurou em vão remédio em todos os médicos da sua terra. Por fim, a sua criada judia falou-lhe do profeta Eliseu. Se Naamã o fosse consultar, de certeza que ficava curado… Naamã já nada tinha a perder. “Partiu levando consigo dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupa”, e foi ao encontro do(…)

Ler mais

Domingo XXVII do Tempo Comum, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga O GRITO DE HABACUC É O NOSSO GRITO “Até quando?” É o grito de toda a humanidade, desde tempos imemoriais. Até quando, Senhor, suportareis a maldade dos homens? Até quando, a opressão dos pobres, a violência contra crianças, a guerra, a fome, as injustiças? O grito angustiante pode tornar-se mais pessoal e preencher a nossa oração em determinados momentos da vida: até quando terei de suportar a traição, ou as manias, ou as indelicadezas do meu marido ou da minha(…)

Ler mais