Domingo XXVIII do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga O BANQUETE ESTÁ PREPARADO Domingo. O banquete está preparado, a festa está pronta. É hoje! Vinde às Bodas! Desde o início da História Sagrada, que o amor de Deus se exprimiu e celebrou através de refeições festivas. Na verdade, partilhar uma refeição com aqueles que nos são próximos ou queridos é, em qualquer cultura e em qualquer tempo histórico, um sinal de amor e predileção. Assim, a imagem de um banquete divino, consumado sobre o monte do Templo, acompanhou os(…)

Ler mais

Domingo XVIII do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga Nota: esta reflexão “irá de férias” e regressará no dia 28 de agosto TEREMOS NÓS VERDADEIRA SEDE? “Abris, Senhor, as Vossas mãos e saciais a nossa fome”, cantamos no salmo responsorial. O banquete está pronto. Celebremos a Eucaristia! O povo de Deus estava exilado na Babilónia. Uma segunda geração nascera e crescera em terra estrangeira, e aí estabelecera morada confortável. Como é fácil acomodarmo-nos! Sem guerras, fome ou perigo, o povo ambientara-se e não tinha desejo sincero de regressar a(…)

Ler mais

Domingo XIV do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga ALEGRIA E ALÍVIO É um Deus alegre e bem-humorado, contente com o seu povo humilde, o que hoje nos chama aqui. “Exulta de alegria!” Diz-nos, através do profeta Zacarias. “Solta brados de júbilo!” Saberemos nós o que é exultar, rir à gargalhada, a cabeça para trás, os olhos cerrados por pura felicidade? Não sei se, alguma vez, experimentámos algo semelhante na nossa relação com Deus. Penso na Santa Missa, o dom mais precioso que Deus nos oferece sobre a Terra.(…)

Ler mais

A propósito de “O grande risco da missa”…

Testemunho do padre António Assunção: Nestes tempos de pandemia fui trazendo à memória vários provérbios cheios de sabedoria que aprendi em criança, entre eles este: “Alma sã em corpo são.” Na verdade, também aprendi na escola que, na soma, a ordem dos factores é arbitrária, pois se a soma for bem feita, o resultado é sempre o mesmo e certo… Mas a ordem deste provérbio é interessante… Por isso, na reabertura das igrejas nestas comunidades, feitas com cuidado as coisas exteriores indicadas para cuidar do corpo… pensámos colocar este cartaz na entrada das igrejas, logo depois de feita com a(…)

Ler mais

O grande risco da missa

Queridos sacerdotes, queridas equipas de acolhimento, queridos pastores, queridos catequistas, queridos irmãos, Já todos sabemos que o vírus é perigoso e que exige que nos protejamos e que sejamos muito cautelosos. Já todos sabemos que a Igreja está na vanguarda da prudência, da cautela, de tanta coisa que – digo-o com sinceridade, depois de tantos absurdos que vimos por aí – nos deixa muito orgulhosos de sermos cristãos. Já todos sabemos que as igrejas são locais seguros, mais seguros certamente que um supermercado, uma praia ou um café.   Por que razão estão tantas igrejas tão vazias, perguntam vários sacerdotes(…)

Ler mais