Manter a calma em tempos de vírus

A crise que estamos a viver está a gerar uma onda de pânico internacional. O imenso tempo livre que de repente, muitos de nós, pais de filhos pequenos, temos nas mãos, não ajuda a manter a calma, pois permite-nos mais tempo também para ler as notificações do whatsapp e seguir todas as atualizações da situação mundial, ao minuto. Já não há conversas sobre outros temas, e tudo o que foi dito ou escrito como preparação desta Quaresma já está desatualizado. No último dia em que fui à escola, uma colega e amiga perguntava-me: “Teresa, como fazes para estar tão calma?(…)

Ler mais

A eutanásia e “como morre um cristão”

Testemunho da Sónia Santos, enfermeira de cuidados paliativos Talvez por força de influência da minha profissão,  quando olho para os meus filhos, assim bebés pequeninos, frágeis, vulneráveis, faço muitas vezes o exercício de imaginá-los velhinhos, com a cara enrugada, as costas curvadas, a mente talvez demente, o corpo velho, cansado e/ou doente. Questiono-me sobre quem cuidará deles nessa altura… Que coragem terão eles para suportar a sua velhice? Que resiliência terão eles para suportar uma doença terminal sua ou das suas esposas ou filhos? Quando estou diante de um doente paliativo, jovem ou velho, surge-me também muitas vezes espontâneamente este(…)

Ler mais

Kobe Bryant e o Rei David

Faz hoje uma semana. Ao acordar, o feed do meu telemóvel trouxe-me a notícia da morte do grande basquetebolista americano Kobe Bryant e de uma das suas quatro filhas, num triste acidente de helicóptero, a caminho de mais um jogo de basquetebol da menina. Cá em casa, somos fãs de basquetebol desde que o nosso David elegeu este desporto como o seu favorito e pediu para entrar num dos clubes da região. Assim, de vez em quando, alguns de nós assistem aos seus jogos, e de vez em quando também, vemos pela internet os Lakers a jogar. Quando, na segunda-feira(…)

Ler mais

Pecadores e mortais

Chove lá fora, e eu regresso de mais uma das minhas muitas curtas viagens a recolher filhos. Bato à porta, apressada. “Quem é?” Pergunta a Lúcia, sem abrir. “Sou eu, filha, abre!” “Não sei quem sois”, responde-me, a rir. Entro no jogo: “Sou eu, a Teresa, professora de Inglês, catequista, escritora, co-fundadora das Famílias de Caná…” Hesito, sem conseguir encontrar mais nenhum título de honra. Uns têm demais, outros, de menos 🙂 “Repito que não sei quem sois”, responde-me novamente a Lúcia. “Sou a Teresa, uma pobre mortal e uma pecadora!” Agora sim, a Lúcia abre a porta e eu(…)

Ler mais

A grande festa da santidade

Cá em casa, assim que entramos na hora de inverno, começam os preparativos para a grande festa de Holywins – Todos os Santos. É um dos dias mais aguardados de todo o ano, e a cada ano que passa, parece tornar-se mais especial. Desta vez, porque o dia santo foi sexta-feira, foram três dias inteiros de celebração, um tríduo tão belo e tão intenso, que na noite de domingo, o António dizia, a caminho da cama: “Nem me lembrava já que é tempo de escola, e amanhã é segunda-feira! Pensei que estava de férias!” “Creio na comunhão dos santos”, rezamos(…)

Ler mais