Domingo XXXII do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicadas no jornal diocesano Correio do Vouga ESTAMOS PREPARADOS? Aproximamo-nos do fim do ano litúrgico. Com cada vez maior urgência, a Igreja aponta para o Céu. Não deixemos escapar esta oportunidade anual de falarmos sobre o Céu, de desejarmos o Céu, de sonharmos com o Céu. “O Reino dos Céus pode comparar-se a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, foram ao encontro do esposo.” A imagem é de alegria esfusiante: o Reino dos Céus é uma festa nupcial. Não havia, em Israel, festa mais bela. O(…)

Ler mais

Domingo da Ascensão do Senhor, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga VINDE, SENHOR JESUS! Domingo da Ascensão. O mistério pascal está quase concluído. A partir deste domingo, uma parte de nós habitará para sempre o Céu. Mais um domingo ainda e, no Pentecostes, uma parte de Deus habitará para sempre a Terra… O mistério da Ascensão está envolto em liturgia. Ele acontece perante a comunidade reunida dos discípulos, uma comunidade claramente litúrgica, que acabava de comer e beber com Jesus: “Dito isto, elevou-Se à vista deles.” De facto, o salmo fala(…)

Ler mais

Ensinamento mensal e o mês de Maria

O belo mês de maio chegou. Maio é sempre, para mim, um misto de alegria e de dor. Em maio, há muitos, muitos anos, era eu caloira universitária, o meu pai partiu para o Céu, depois de cinco longos anos de doença oncológica. Em maio, há catorze anos atrás, também o Tomás partiu para o Céu, depois de alguns meses a lutar contra um tumor cerebral maior do que ele. Durante vários anos desde a morte do Tomás, o dia 13 de maio foi um dia triste, em que a custo conseguia conter as lágrimas. Nesse dia, o Tomás regressara(…)

Ler mais

Manter a calma em tempos de vírus

A crise que estamos a viver está a gerar uma onda de pânico internacional. O imenso tempo livre que de repente, muitos de nós, pais de filhos pequenos, temos nas mãos, não ajuda a manter a calma, pois permite-nos mais tempo também para ler as notificações do whatsapp e seguir todas as atualizações da situação mundial, ao minuto. Já não há conversas sobre outros temas, e tudo o que foi dito ou escrito como preparação desta Quaresma já está desatualizado. No último dia em que fui à escola, uma colega e amiga perguntava-me: “Teresa, como fazes para estar tão calma?(…)

Ler mais

A eutanásia e “como morre um cristão”

Testemunho da Sónia Santos, enfermeira de cuidados paliativos Talvez por força de influência da minha profissão,  quando olho para os meus filhos, assim bebés pequeninos, frágeis, vulneráveis, faço muitas vezes o exercício de imaginá-los velhinhos, com a cara enrugada, as costas curvadas, a mente talvez demente, o corpo velho, cansado e/ou doente. Questiono-me sobre quem cuidará deles nessa altura… Que coragem terão eles para suportar a sua velhice? Que resiliência terão eles para suportar uma doença terminal sua ou das suas esposas ou filhos? Quando estou diante de um doente paliativo, jovem ou velho, surge-me também muitas vezes espontâneamente este(…)

Ler mais