Mais uma bela Família de Caná!

A nossa missão na Suíça, em Zurique, há ano e meio, já deu frutos: no sábado, na missa vespertina, tivemos o compromisso Família de Caná da Natércia e do Martinho, os queridos amigos que conhecemos na altura. Que dia tão bonito! De férias em Portugal, a Natércia e o Martinho não queriam perder a oportunidade de fazer o seu compromisso. A ideia inicial seria fazê-lo no Acampamento, rodeados de mais Famílias de Caná, mas nessa altura, já ambos estarão de volta ao trabalho na Suíça. Depois pensámos: cada Família de Caná tem o seu tempo, o seu percurso, o seu(…)

Ler mais

Uma Caravana rumo ao Céu

Terceiro de uma série de artigos sobre o carisma e a espiritualidade das Famílias de Caná O meu senhor sabe que as crianças são delicadas e que o gado miúdo e graúdo, que ainda mama, exige os meus cuidados; se os apressarem, ainda que só por um dia, todo o gado novo perecerá. Que o meu senhor queira passar adiante do seu servo; eu caminharei devagar, ao passo da caravana que me precede e ao passo dos meninos… (Gn 33, 13-14) Nos inícios do Movimento, durante uma pesquisa que eu fazia, na Internet, no contexto dos meus livros Os Mistérios(…)

Ler mais

Consumismo espiritual

Primeiro de uma série de artigos sobre o carisma e a espiritualidade das Famílias de Caná “Mãe, vem ver! Não vais acreditar! Olha!” O António leva-me pela mão ao jardim e mostra-me a pereira. Pela primeira vez desde que a plantámos, está coberta de pêras pequeninas e verdes, a crescer lentamente. Quando viemos morar para Mogofores, para uma casa com terra a toda a volta, decidimos de imediato construir uma pequena horta. Não tencionávamos cultivar o suficiente para alimentar uma família numerosa. Queríamos apenas que os nossos filhos descobrissem como é difícil, cansativo – e maravilhoso – alimentarmo-nos com o(…)

Ler mais

O Movimento, a paróquia, a missão…

“As Famílias de Caná são muito pouco estruturadas”, comenta-se de vez em quando. E também: “As Famílias de Caná não oferecem uma formação sólida, é tudo muito no ar.” Sei de párocos que evitam levar o Movimento para a sua paróquia porque não sabem “por onde lhe pegar”, e de famílias que deixaram de crescer à sombra do Movimento por não encontrarem nele a satisfação de todas as suas necessidades espirituais. Mas também sei de párocos que se sentiram seduzidos pelo Movimento por encontrarem nele famílias disponíveis para o trabalho paroquial, capazes de se inserir nas diversas propostas de formação(…)

Ler mais

Os movimentos na Igreja, a Igreja em movimento

Com frequência, escuto comentários de pessoas crentes e, geralmente, empenhadas nas suas paróquias: “Os Movimentos da Igreja são totalmente desnecessários!” “Quem me dera que não houvesse Movimentos!” “Parece que os Movimentos inventam o seu próprio Cristo!” Geralmente, estes desabafos denunciam alguns pecados dos cristãos: pecados de divisão, de competição, de rivalidade, de superioridade. Quantas vezes nos apercebemos desta realidade! Isso não acontece, contudo, por culpa do Movimento, mas pelo pecado dos seus elementos. Talvez por não terem o acompanhamento espiritual necessário, os membros que assim se sentem separados dos irmãos estão simplesmente a contradizer o espírito de serviço e amor(…)

Ler mais