Domingo XXII do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga RENÚNCIA E SEDUÇÃO A cruz é a companhia de eleição do cristão. Preferir a cruz às atrações e aos elogios do mundo, eis o que distingue um verdadeiro crente! “Vós me seduzistes, Senhor, e eu deixei-me seduzir”, exclama Jeremias, numa oração profundamente emotiva. Sempre me questionei por que razão tantos cristãos, apesar de expostos à Palavra de Deus e se alimentarem com o Pão da Vida, não se sentem profundamente seduzidos por Jesus. Como é possível? Não é Ele o(…)

Ler mais

Domingo XVIII do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga Nota: esta reflexão “irá de férias” e regressará no dia 28 de agosto TEREMOS NÓS VERDADEIRA SEDE? “Abris, Senhor, as Vossas mãos e saciais a nossa fome”, cantamos no salmo responsorial. O banquete está pronto. Celebremos a Eucaristia! O povo de Deus estava exilado na Babilónia. Uma segunda geração nascera e crescera em terra estrangeira, e aí estabelecera morada confortável. Como é fácil acomodarmo-nos! Sem guerras, fome ou perigo, o povo ambientara-se e não tinha desejo sincero de regressar a(…)

Ler mais

Domingo XV do Tempo Comum, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga DEUS TEM FÉ EM NÓS “Os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória que se há de manifestar em nós.” Tudo vai ficar bem, lemos e escutamos por aí, nestes tempos de pandemia, como palavra profética. Tudo vai ficar bem, assegura-nos hoje o Senhor numa verdadeira profecia. A nós, que acreditamos e esperamos na Palavra de Deus, resta-nos trabalhar para que tudo fique bem através de nós, e não apesar de nós. A pequena Sara mostrava-me, feliz,(…)

Ler mais

Em jeito de balanço

Ontem, como quase todos os dias desde 13 de março, levei o Daniel a visitar as ovelhinhas no final da rua. Se eu me atraso um pouco, é ele quem me puxa para o carrinho e me pede que o sente, pois não gosta de ficar sem o seu passeio matinal, não vão as ovelhas passar fome! E a verdade é que, ao vê-lo chegar, elas correm para o gradeamento e atropelam-se para receber as folhinhas e ervinhas que ele lhes estende. E ontem, enquanto passeávamos, dei comigo a ter saudades antecipadas destes passeios matinais. Saudades da tranquilidade destes nossos(…)

Ler mais

Notre Dame, os edifícios, a pandemia e os sinais dos tempos

De vez em quando, na minha oração, procuro fazer sentido do emaranhado de fios que tecem a minha vida, o mundo, a Igreja. Procuro colocar os acontecimentos sob a luz que me chega do Evangelho e descobrir detalhes divinos. No fundo, procuro ler os sinais dos tempos, como Jesus pediu que fizéssemos. Há alguns anos, no nosso país e noutros, o sistema das escolas católicas começou a desmoronar-se. Com a perda dos contratos de associação, a maioria viu-se condenada a despedir professores, perder alunos e, finalmente, a fechar portas. Olho com tristeza para tantos edifícios construídos com esforço, com o(…)

Ler mais