Notre Dame, os edifícios, a pandemia e os sinais dos tempos

De vez em quando, na minha oração, procuro fazer sentido do emaranhado de fios que tecem a minha vida, o mundo, a Igreja. Procuro colocar os acontecimentos sob a luz que me chega do Evangelho e descobrir detalhes divinos. No fundo, procuro ler os sinais dos tempos, como Jesus pediu que fizéssemos. Há alguns anos, no nosso país e noutros, o sistema das escolas católicas começou a desmoronar-se. Com a perda dos contratos de associação, a maioria viu-se condenada a despedir professores, perder alunos e, finalmente, a fechar portas. Olho com tristeza para tantos edifícios construídos com esforço, com o(…)

Ler mais

Domingo VI de Páscoa, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga SEMPRE PRONTOS A RESPONDER Já estamos no Domingo VI de Páscoa! Nestes tempos difíceis de pandemia e confinamento, custa seguir o calendário litúrgico. Em vez de Domingo VI de Páscoa, parece-nos viver o Domingo X de privação eucarística. Não caiamos na tentação! É preciso adentrarmo-nos no mistério do ano litúrgico com ainda maior intencionalidade nestes tempos. O Senhor ressuscitou! Sejamos suas testemunhas, em alegria e boas obras. No Evangelho, Jesus assegura-nos que nos enviará o seu Espírito, para estar sempre(…)

Ler mais

Domingo V de Páscoa, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA O tempo pascal continua. É primavera, a alegria regressou aos campos, o sol brilha no céu, e o mês de Maria chegou. Mas continuamos a viver “no tempo da fome”, como profetiza o salmo… “Vou preparar-vos um lugar.” O que estará, realmente, a dizer-nos Jesus? Para os seus ouvintes, a sua linguagem era clara. Mas nós estamos muito distantes destes tempos, e por isso, importa perceber exatamente o que Jesus estava(…)

Ler mais

Ensinamento mensal e o mês de Maria

O belo mês de maio chegou. Maio é sempre, para mim, um misto de alegria e de dor. Em maio, há muitos, muitos anos, era eu caloira universitária, o meu pai partiu para o Céu, depois de cinco longos anos de doença oncológica. Em maio, há catorze anos atrás, também o Tomás partiu para o Céu, depois de alguns meses a lutar contra um tumor cerebral maior do que ele. Durante vários anos desde a morte do Tomás, o dia 13 de maio foi um dia triste, em que a custo conseguia conter as lágrimas. Nesse dia, o Tomás regressara(…)

Ler mais

Domingo IV de Páscoa, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga SEREMOS AINDA CAPAZES DE RECONHECER A VOZ DO PASTOR? Nestes tempos de confinamento, faço frequentemente um curto passeio com os meus filhos mais novos até ao fundo da rua. Há aí uma quinta onde pastam ovelhas com os seus cordeirinhos, e é uma alegria vê-los brincar. De vez em quando, detenho-me a apreciar a relação que estes animais pacíficos têm com o seu pastor. É que não importa o quão entretidos estejam a mordiscar as folhas que os meninos lhes(…)

Ler mais