Emaús

O ensinamento mensal de Abril leva-nos com os discípulos pelo “caminho de Emaús” fazendo-nos percorrer as várias etapas necessárias para vivermos inteiramente a Páscoa a partir da noite de hoje e nas próximas semanas. Meditemos neste ensinamento para não deixarmos que nos passe ao lado nem que não saiamos dela com uma grande “reviravolta”.

Ler mais

Domingo de Páscoa! Aleluia!

Aqui fica a reflexão semanal que escrevi, publicada, como sempre, no nosso jornal diocesano Correio de Vouga, com os nossos votos de uma Santa e muito frutuosa Páscoa 2o2o. ELE ANDA POR AÍ! ALELUIA! Aleluia! Hoje é Domingo de Páscoa, o primeiro dia da semana, o primeiro dia da Nova Criação. Cristo Ressuscitou! Aleluia! “Maria Madalena foi de manhãzinha, ainda escuro, ao sepulcro.” Eis o primeiro movimento da ressurreição, que é também o primeiro movimento bíblico: levantar-se e sair. Ainda que seja noite. Ainda que esteja escuro. Ainda que não saibamos para onde exatamente. Ainda que caminhemos entre túmulos. Madalena(…)

Ler mais

Domingo V da Quaresma, ano A

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga SOMOS MORTAIS “Vou abrir os vossos túmulos e deles vos farei ressuscitar, ó meu povo”, diz o Senhor em Ezequiel, numa das passagens mais poderosas da Antiga Aliança. E numa das passagens mais poderosas do Evangelho, Jesus ressuscita Lázaro. “Eu não te disse que, se acreditasses, verias a glória de Deus?” Morte, medo, pânico. Os nossos dias, as nossas mensagens de whatsapp, as notícias atualizadas ao minuto, estão cheios disto, agora que vivemos em plena epidemia covid-19. Pela primeira vez(…)

Ler mais

Os sapatos

A Semana da Vida apanha-me sempre num turbilhão de emoções e pensamentos. É que o mês de maio, das flores, da mãe, da ressurreição, da primavera, da vida – o mês de maio, na minha casa, é o mês da morte. Porque foi no dia 16 de maio que o meu pai partiu para Casa, há 28 anos atrás. E foi no dia 19 de maio que o meu filho Tomás partiu também para Casa, há 13 anos atrás. Cada um dos meus filhos tem uma caixa de cartão desde o dia em que nasceu, para onde vou lançando, durante(…)

Ler mais

Domingo V de Páscoa, ano C

Reflexão semanal, escrita pela Teresa, sobre as leituras da missa do domingo seguinte, publicada no jornal diocesano Correio do Vouga QUAL O INGREDIENTE? As leituras destes dias pascais lançam-nos nos tempos que hoje vivemos, entre o “já” da ressurreição e o “ainda não” da felicidade eterna, entre a omnipresença de Jesus na nossa vida e a sua aparente ausência de tantos momentos. “Quando Judas saiu do Cenáculo…” O Evangelho começa com esta triste introdução. O desenvolvimento natural, que esperaríamos de um qualquer outro evento dramático que se iniciasse com uma traição, seria algo como “Jesus entristeceu-se”, ou “o medo instalou-se”.(…)

Ler mais

Os Cânticos, Madalena e os cânticos

Não importa o quão preparados pensamos estar, a Páscoa apanha-nos sempre de surpresa. Os Apóstolos foram os primeiros a serem tomados por esta surpresa absoluta, divina, capaz de dividir a História em duas. Por isso, quando a Páscoa me apanha de surpresa, não devo estranhar… Num post recente, deixei-vos inquietos ao falar desta necessidade de ir desenterrar o Aleluia pascal tão fundo por vezes, debaixo de tantos escombros e tanta lama. Mas não é sempre assim! Desde o dia de Páscoa que o meu coração e a minha mente se têm centrado nos magníficos relatos da ressurreição de Jesus, e(…)

Ler mais

Jardim da Ressurreição

Durante a tarde de sábado, meditando nos acontecimentos da semana Santa, nós, família Batista, gostamos de construir em nossa casa o “Jardim da Ressurreição”. Esta actividade pode ser feita no jardim exterior da casa ou então para quem tem espaços pequenos pode ser feita com um tabuleiro de terra, vasos e plantas (ideia retirada daqui). Materiais: Madeira para fazer três cruzes, um vaso de barro para fazer o sepulcro, pedra grande para tapar a entrada do sepulcro, velas e flores para o grande dia de Páscoa. Como fazer: Na versão jardim exterior – escolher um local com espaço para colocar(…)

Ler mais

Eu sou do meu Amado

Neste tempo de esponsais, em que nós, Famílias de Caná, celebramos o dom do amor de Jesus, debruçado sobre a nossa miséria para nos elevar às alturas do Céu, Maria Madalena surge luminosa como alguém que soube amar, e amar até ao fim. A primeira leitura da sua Festa vem do belíssimo Livro do Cântico dos Cânticos, livro também proposto este mês às Famílias de Caná para sua meditação mensal. E diz assim: Eis o que diz a esposa: «No meu descanso, durante a noite, procurei aquele que o meu coração ama; procurei-o, mas não pude encontrá-lo. Levantar-me-ei e percorrerei(…)

Ler mais